Insólitas Construções Em Marte e Também na Lua

Quando em outubro de 1938 o ator Orson Welles, através dos microfones da rede CBS, divulgou uma falsa notícia que dava conta da invasão do planeta Terra por entidades marcianas e seus discos voadores, o pânico tomou conta da maioria das cidades dos Estados Unidos da América. Obviamente tratava-se de uma brincadeira de mau gosto, mas que intuitivamente vislumbrava algumas grandes verdades que algumas décadas mais tarde viriam à tona, envolvendo o enigmático planeta vermelho.

Marte sempre nos propôs enigmas. Desde remotas eras os astrônomos já tinham observado os seus imensos canais, o que denotaria a existência de água. Sabe-se, atualmente, que a água é uma presença constante e real naquela planeta, abundante nas calotas polares e existente em outros locais esparsos, sob a forma de geleiras permanentes. Sua temperatura oscila entre -120 a 20 graus C e nele orbitam dois pequenos satélites, Deimos e Phobos, os quais suspeitam-se sejam artificiais. Sua superfície ostenta verdadeiros gigantes, tais como o Monte Olympus, o maior vulcão conhecido no Sistema Solar, com 550 quilômetros de diâmetro e também um enorme canal conhecido como Vale Marineris, este com 5000 quilômetros de extensão. Porém, com o desenvolvimento da tecnologia espacial, outras espantosas surpresas viriam:

Tudo começou quando em 1976 a sonda norte-americana Viking enviou a partir da órbita daquele planeta as mais sensacionais e estonteantes fotografias conhecidas no campo da Astronomia: estamos nos referindo ao imenso rosto de pedra que fita o espaço sideral, além de dezenas de igualmente gigantescas pirâmides, obeliscos, muralhas e demais edificações bizarras que orlam o solo marciano!

Todavia, em março de 1996, um grupo de cientistas independentes, composto por americanos, japoneses, soviéticos e europeus (muitos destes pertencentes aos próprios quadros da NASA na época do inusitado fato), resolveu denunciar ao mundo e notadamente à comunidade científica de um modo geral, que aquela entidade norte-americana de pesquisas espaciais SABE QUE EXISTEM NO SOLO DE MARTE VESTÍGIOS DE UMA CIVILIZAÇÃO INTELIGENTE!

Em outras palavras, a organização espacial americana levantou propositadamente uma extensa cortina de fumaça e de total desinformação, fazendo crer que os misteriosos monumentos fotografados seriam apenas meras ilusões de ótica, decorrentes de “jogos de sombras”.

Contudo, a NASA apesar das negativas oficiais que fazia questão de divulgar à imprensa continuava intrigada e procedendo pesquisas sigilosas a respeito do insólito festival de monumentos marcianos e, assim sendo, os seus cientistas vislumbraram coisas verdadeiramente espantosas, como por exemplo:

Curiosas estruturas semelhantes a muralhas, sugestivamente batizadas como Inca City (a Cidade Inca). Aliado a isso, existem outras coisas ainda mais intrigantes: um enorme monumento batizado de “Delphim” (dada a sua incrível semelhança com um golfinho), perfeito nos seus mínimos detalhes e ainda por cima guarnecido de uma extensa cinta de pedras retangulares, como se fossem altares. Outro enorme monumento tem a perfeita forma de um coração voltado para o espaço. E isso, porém, não é tudo:

As análises dos computadores revelaram também que o imenso rosto de pedra, situado na região classificada como Cydonia, possui nada menos que 1,5 quilômetro de comprimento por 500 pés de altura. As linhas da face revelam as proporções de um rosto de aparência humana, tendo a sua testa cerca de um quilômetro de extensão! Um curioso “arco”, situado acima das cavidades oculares, prova que o monumento é ARTIFICIAL, ou seja, construído por seres inteligentes e, evidentemente, jamais se tratando de formações erosivas.

Por outro lado, as dezenas de pirâmides estão dispostas simétrica e matematicamente proporcionais em relação ao curioso rosto de pedra e também entre si. Sua arquitetura é incrivelmente semelhante à Grande Pirâmide de Gizé, no Egito, só que tendo como características verdadeiramente impressionantes o fato de que algumas delas serem, na sua maioria, 60 vezes maiores do que aquela – o que mais uma vez revela não se tratar de um mero capricho da natureza.

E posteriormente, descobriu-se que existiam nada menos que DOIS outros rostos gigantescos fitando o espaço. Um deles, a poucos quilômetros do primeiro, retrata uma face idêntica àquela de Cydonia. O segundo é mais assustador e imponente: parece um rosto leonino!

Isso para total desespero da NASA, que intrigada com o fenômeno enviou posteriormente oito sondas para explorar o assunto, quando para surpresa geral esses artefatos cessaram misteriosamente as suas transmissões de rádio na órbita marciana e….. Sumiram sem deixar vestígios!

Como detalhe curioso e talvez bastante revelador, ressaltese que o mesmo aconteceu com nada menos que dezessete sondas soviéticas, igualmente despachadas para bisbilhotar as enigmáticas construções do planeta vermelho!

O cientistas da NASA, desde 1976, acreditam que em épocas muito recuadas o planeta Marte oferecia condições ambientais idênticas às da Terra nos dias atuais e, portanto, teria sido habitado. Ou talvez, uma hipótese que merece ser devidamente considerada, AINDA SERIA HABITADO por uma raça que se viu forçada a viver no subsolo em razão da perda das características do seu habitat natural, em decorrência de uma catástrofe qualquer.

Uma catástrofe tão violenta que veio a secar os mares, extinguir a vegetação, tornar o solo árido e estéril e permitir o escoamento quase que total da sua camada atmosférica! Algo que pode ter sido de origem natural, ou eventualmente provocado…Uma guerra nuclear, por exemplo!

E quem sabe se o Monte Olympus, com os seus impressionantes 550 quilômetros de diâmetro, não se trate de um vulcão extinto, mas, sim, o exato local da deflagração de um petardo atômico?

Uma ocorrência mais antiga e contudo não menos impressionante parece atestar que em Marte talvez ainda existam sobreviventes. Em 28 de agosto de 1924, a Marinha dos EUA realizou uma experiência quando o planeta vermelho se aproximou do seu ponto máximo em relação à Terra. Estranhos sinais chegavam a partir dele e uma radiocâmera Jenkins, destinada a traduzir graficamente sinais de rádio, fora acoplada a uma poderosa antena e orientada na sua direção. A fita obtida, com o comprimento de nove metros (posteriormente confiscada pelos órgãos governamentais de segurança), mostrava estranhos alinhamentos de sinais contínuos; espaçadamente outros sinais agrupados e uma profusão de fisionomias aparentemente humanóides. Horríveis; como que cruelmente descarnadas!

O dr. Ernest J. Opik, eminente cientista contemporâneo, declarou por sua vez que “a saliência fora do comum descoberta no equador de Marte indica que sua massa planetária é oca, uma espécie de telhado feito pelos marcianos que viveram, ou ainda vivem, sob o mesmo”.

Diante de tudo isso, e em se tratando do misterioso planeta vermelho, nenhuma hipótese deve ser desconsiderada!

Também o nosso satélite, que conhecemos como Lua, apresenta os seus intrincados mistérios. Desde as primeiras missões espaciais, as espantosas fotografias revelavam (vejam bem: mesmo antes de o primeiro homem lá colocar os pés), uma intensa movimentação na sua árida superfície. Estranhas máquinas foram pilhadas se movimentando em diversas crateras, até mesmo deixando as marcas das suas esteiras!

Objetos voadores, ou melhor OVNI, foram vistos e até fotografados pelos astronautas, pousados ou mesmo chegando e partindo do solo lunar. Porém, aquilo que sugere uma intensa atividade exploratória executada por seres desconhecidos no nosso satélite natural, que talvez seja mineração, torna-se ainda mais surpreendente quando se sabe que certas fotos “malditas” mostram igualmente a existência de bizarras edificações espalhadas pelos mais diversos pontos da Lua! O primeiro pesquisador a se dar ao trabalho de bisbilhotar as fotos oficiais e a botar a boca no trombone foi o notável George Leonard, autor em 1977 do raríssimo, e hoje disputado a tapas e a peso de ouro, livro intitulado Somebody Else is on The Moon (Alguém Mais Está na Lua), onde dezenas de fotografias mostram coisas verdadeiramente surpreendentes, tais como: canais, pontes, restos de veículos desconhecidos abandonados em crateras, setas direcionais, cúpulas, cruzes, tubulações, estranhos caracteres e insígnias voltados para o espaço, máquinas em plena e muito febril atividade, e muitas outras coisas mais!

Isso despertou a atenção dos demais pesquisadores que logo passaram a encarar com mais atenção as fotos da NASA, nelas descobrindo coisas ainda mais impressionantes e que talvez inadvertidamente estiveram por algum tempo à disposição dos interessados.

A Surveyor 6, por exemplo, fotografou em 1967 um imenso domo de cristal (assim chamado em razão da sua incrível transparência) que se eleva por cerca de 10 quilômetros acima da superfície lunar precisamente na região de Sins Medii! Mais tarde, um astronauta da Apolo X foi fotografado tendo ao fundo, e à distância, a tal construção evidentemente artificial. Na Cratera Ukert outra imensa edificação triangular, dentro de outra estrutura do mesmo formato, se faz perfeitamente visível do espaço e foi inclusive objeto de várias fotografias. No Mar Crisis existem, por sua vez, estranhas pontes com quase 20 quilômetros de extensão.

Construídas por quem e para quê?

Torna-se mais curioso, porém, o fato de que logo após de terem despertado a atenção dos pesquisadores e causarem imensa polêmica, as tais fotos sumiram do acesso ao público. Quando se acessa o site da NASA na Internet, por exemplo, podemos verificar que aquelas mais comprometedoras, ou seja aquelas que mostravam todas essas curiosidades, estão dadas como “missing photos” (perdidas, ausentes ou desaparecidas). Como por sinal não são poucas, felizmente várias delas foram preservadas nos arquivos particulares dos estudiosos. Caso contrário, cairiam no mais absoluto esquecimento e estes no descrédito. Nos campos vazios da Moon Photo Gallery (Galeria de Fotos Lunares), aonde deveriam estar os thumbnails das fotos, notam-se ao lado as mais bizarras explicações. Na Cratera Vitello, por exemplo, uma nítida fotografia (aqui mostrada, veja portanto o Leitor e julgue!), revela uma imensa máquina saindo do seu interior, deixando atrás de si um curioso rastro entrelaçado das suas esteiras de deslocamento tal como -guardadas das devidas proporções- fazem os nosso tanques de guerra. Hilariante explicação oficial da missing photo, que aliás ninguém poderá mais contestar? Uma pedra rolando para dentro da Cratera Vitello!

Aliás a presença alienígena na nossa Lua (e será que é nossa mesmo?) não era nenhuma novidade, uma vez que certas transmissões feitas pelos astronautas que a orbitavam nas primeiras missões espaciais tripuladas são até bastante nítidas e reveladoras.

Os OVNI que acintosamente as espreitavam receberam curiosos codinomes nas transmissões via rádio, isso para não despertar demasiadamente a atenção dos jornalistas. Nomes como “Annbell”, “Barbara”, “Santa Claus” (Papai Noel) e outras sandices parecidas não puderam, contudo, esconder o óbvio.

Em 1971, por exemplo, na missão Apolo 14, os três astronautas excitadamente relataram que um tal de “Annbell” estava, segundo a transmissão via rádio de Allan Shepard, “correndo em direção à cratera, precisamente em direção à borda e deixando rastros”. Seu companheiro, Mitchell, acrescentou que a coisa deveria ter perto de uma milha de altura e que bem debaixo dela, do interior da tal cratera, saía um clarão de luz!

Nas missões Apolo 15 e 16, os astronautas reportaram novamente os tais “Annbell”, dessa feita voando sem a menor das cerimônias, ao redor das suas cápsulas espaciais!

Bem antes disso, contudo, o primeiro pouso do homem na Lua, realizado em 20 de julho de 1969 pela tripulação do módulo lunar Eagle da Apolo 11, foi coroado por um notável incidente: o coronel Eldwin Aldrin, comandante da missão, teve que escolher às pressas uma alternativa para o pouso, pois as proximidades da cratera inicialmente escolhida estavam sem lugar para “estacionar”.

Frenético berrou nítida e claramente, sem qualquer tipo de codificação ou subterfúgios, para o controle terrestre da operação, em Houston, que “coisas enormes, OUTRAS ESPAÇONAVES estavam espalhadas na outra borda da cratera, observandos”!

Alalu-marsNo solo de Marte, nada menos que três imensos rostos,
inegáveis obras de seres inteligentes, fitam o espaço sideral. O
do centro está associado a uma curiosa estrutura, ao passo que
o terceiro, na extremidade direita da foto, ostenta um
semblante leonino.

Delphim marsO impressionante “Delphim” marciano. Na foto ao lado, a visão
geral de dois rostos, situados em Cydonia, perto dos quais se
notam várias (e além de tudo imensas) pirâmides.

Mars1Aqui vemos as curiosas estruturas batizadas pela
própria NASA como “A Cidade Inca” e no entanto por ela
mesmo classificadas como “trabalhos erosivos”.

Mars2A Lua, por sua vez, também não fica atrás em matéria de
monumentos bizarros.
Aqui vemos o que parecem ser enormes tubulações e, à
direita, precisamente na Cratera Ukert, uma colossal
estrutura triangular, tendo ao centro um outro triângulo.
Essa espécie de balizador cósmico se estende por cerca de 16
milhas!

Mars3No Mar Crisis, as famosas “pontes lunares”, com cerca de 18
quilômetros de extensão.
À direita, em Sins Medii, o famoso “Domo de Cristal” que se
eleva a cerca de 10 quilômetros da superfície lunar, reparem na
sua parte inferior aquilo que parecem luzes!

Mars4E nesta foto, obtida pela Lunar Orbiter 5, em 17 de
agosto de 1967, quando portanto
o homem ainda não botara os pés na Lua, vemos,
assinalado pelo retângulo, uma máquina que sai de uma
cratera ao sul de Mare Humorum, deixando atrás de si o rastro
bem visível das suas esteiras. Hoje, considerada
como “missing photo”, a NASA
explica esta foto desaparecida como “uma pedra
rolando para dentro da cratera” !!!

Fonte: Insólito! Mistérios do Céu, da Terra, do Espaço e do Tempo – Sérgio Russo

About these ads

Um pensamento sobre “Insólitas Construções Em Marte e Também na Lua

  1. a naçao americana e dirigida por seres ostis desde a 1 gerra estao dominando todo sistema solar e anseiao mais e assim nao liberam documentarios sobre marte que nao e uma civilizaçao hostil e nao estam na lua e sim esses seres hostis aos quais bandos de dirigentes gananciosos na terra fazem e fizerao acordos vergonhosos que so fazem nos sulgar ate que seje declarado o fim da nossa civilizaçao para dar entrada para a hostilidade de seres malditos SALVE-NOS AMIGOS VEGALIANOS antes que seja tarde demais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s