SDI – Strategic Defense Initiative: Sentença de Morte Para Dezenas de Ciêntistas!

SDI – Strategic Defense Initiative, ou Iniciativa de Defesa Estratégica, conforme a ela se referiu Lear, existiu e AINDA EXISTE realmente, sendo popularmente conhecida como PROJETO GUERRA NAS ESTRELAS, iniciado pelo expresidente dos EUA Ronald Reagan.

SDI - Strategic Defense InitiativeO pretexto para a sua criação teria sido a aparente necessidade daquele país no sentido de se proteger das ameaças da URSS, mediante o desenvolvimento de potentes armamentos de tecnologia espacial -a serem colocados na órbita da Terra e que visariam principalmente a detectar e destruir eventuais ataques nucleares, desfechados mediante o emprego de mísseis estratosféricos.

Imensas verbas foram votadas pelo Congresso Norte- Americano, sob o regime de urgência, e o desenvolvimento do projeto deu-se em ritmos acelerado, através do emprego de mão-de-obra contratada com exclusividade e obtida entre os mais renomados cientistas e pesquisadores de todos os países do mundo.

Reagan, que por nada menos que 18 VEZES durante os seus pronunciamentos oficiais na presidência da república referiu-se diretamente aos OVNI (os quais inclusive chegara a ver quando foi governador de um dos estados americanos), foi ainda mais longe durante uma cerimônia oficial na qual, diante de centenas de pessoas, fez alusão a uma hipotética situação em que um ATAQUE DE OUTROS POVOS DO ESPAÇO forçaria à união de todas as nações do mundo, que assim esqueceriam as suas diferenças sendo obrigadas a se defender de um inimigo comum!!!

Por outro lado, sabe-se que as relações entre os dois países aparentemente hostis, não eram lá assim tão agressivas como se impunha à opinião pública. Um encontro secreto entre Reagan e Gorbachev -disso estão cientes todos aqueles que pesquisam a Ufologia – foi específico para debater e adotar medidas conjuntas contra a ameaça dos OVNI ao planeta Terra!

Assim, o Projeto Guerra nas Estrelas que, ao que parece, também teve a cooperação dos russos, não passou de uma bem montada política de encobrimento quanto à desesperada tentativa de proteger o planeta das ameaças que se avizinhavam e (muito principalmente) desenvolver armas que pudessem ser eficazes contra os indesejáveis hóspedes alienígenas que tomaram conta da situação, não somente lá no espaço como também cá por baixo mesmo!

Só que repentinamente alguma coisa começou a dar errada: um a um os cientistas envolvidos, como se fora uma espécie de “maldição”, iam morrendo de maneira suspeita, através de misteriosos e inexplicados “acidentes”. Isso sem contar os “desaparecimentos”!

As principais vítimas destacaram-se entre os britânicos, onde somente a Scotland Yard contabilizou nada menos que quarenta desses bizarros acontecimentos que tinham um notável elo comum: armas espaciais ultra-sofisticadas e letais, além de poderosos equipamentos de rastreamento e identificação, que as vítimas desenvolviam através de projetos ultra-secretos, a serviço do Governo Americano!

Sabe-se que uma das origens da criação desse Projeto Guerra nas Estrelas foi não só a presença dos alienígenas aqui, como o fato de o Governo Americano, através dos seus órgãos de segurança e informações- estar de posse de CENTENAS DE MAPAS ALIENÍGENAS, onde se acham assinaladas as nossas principais instalações de defesas (mesmo as subterrâneas e secretas!), bem como os principais reservatórios de água das grandes cidades mundiais.

Numa claríssima evidência que as criaturas estariam promovendo um levantamento tipicamente militar e que, como tal, precederia forçosamente a um ataque!

Como detalhe curioso, é bom saber que esses mapas certamente resgatados nos OVNI acidentados, -elaborados através de técnicas avançadíssimas e desconhecidas- estão repletos de anotações em um alfabeto estranho, com bastante ênfase nas bases de lançamentos de mísseis americanas e russas!

As indústrias britânicas de defesa foram preferencialmente escolhidas por Reagan, pelo fato de serem por tradição e eficiência até mais competentes do que as americanas, além de movimentarem por ano mais de 250 milhões de dólares nessas atividades, destacando-se dentre elas a Marconi Company Ltd., uma das maiores especialistas em defesas eletrônicas do mundo -e que por sua vez teve o maior número de vítimas contabilizado nos seus quadros de cientistas, notadamente por intermédio de bizarros “suicídios”!

Da bastante extensa lista relativa a essas curiosas e até hoje inexplicáveis mortes, podemos destacar alguns exemplos bastante expressivos:

– Professor Keith Browden, 45 anos de idade, cientista de Informática da Universidade de Essex. Em março de 1982 seu automóvel precipitou-se de uma ponte, espatifando-se juntamente com ele, em uma área deserta e abandonada.

Suposto motivo da morte: “acidente”.

  • – Tenente-coronel Anthony Godley, 49 anos, especialista em defessa, membro principal do Royal Military College of Science. Desaparecido misteriosamente desde abril de 1983!
  • – Roger Hill, 49 anos, cientista da Marconi, autoridade em radares e técnicas de detecção. Motivo da morte: “suicídio sem razões aparentes” produzido por arma de fogo.
  • – Jonathan Walsh, 29 anos, especialista em comunicações digitais da British Telecom e da Marconi. Em novembro de 1985 “caiu” da alta janela do quarto de hotel no qual estava hospedado em Abidjan, Costa do marfim, África. Motivo da morte: “talvez suicídio”.
  • – Vimal Dajibahi, 24 anos, engenheiro de Computação e Sistemas, especialista em defesa sub-aquáticas, responsável pelo desenvolvimento dos torpedos Tigerfish para a Marconi.

Em agosto de 1986 seu corpo foi resgatado das águas profundas, situadas bem abaixo de uma ponte em Bristol.

Suicídio? Talvez! Até hoje o caso não foi esclarecido.

  • – Ashaad Sharif, 26 anos, analista de Computação da Divisão de Sistemas e Defesas, também da Marconi. Outro misterioso “suicídio”: em outubro de 1986 teria amarrado o pescoço a uma corda, passou-a entre o galho de uma árvore, deu a partida no seu automóvel e morreu barbaramente decapitado. (Que maneira mais estranha de cometer um suicídio…!)
  • – Richard Pugh, consultor de Computação do Ministério da Defesa Britânico. Em janeiro de 1987 foi encontrado morto, sufocado e amarrado desde a cabeça até os pés (assim como uma múmia egípcia!) e com uma grossa corda enrolada por quatro vêzes no pescoço. Disseram que essa morte surrealista fora motivada por… (francamente!) Uma experiência sexual!
  • – John Brittan, especialista em blindados, também do Ministério da Defesa Britânico, membro do Royal College of Science. Encontrado morto, da mesma maneira que o dr. Morris Jessup, na garagem da sua casa. Tudo fechado e o automóvel com o motor trabalhando. No seu interior, o corpo envenenado pelo CO2! Classificação oficial para o evento: “um lastimável acidente”.
  • – Victor Moore, 46 anos, engenheiro de projetos da Marconi Space Systems. Em fevereiro de 1987, encontrado morto por “suicídio” -devido a uma suposta “overdose de drogas”.
  • – Peter Peapell, 46 anos, cientista do Royal Military College of Science. Outro curioso emprego dos gases de escapamento de um automóvel: em fevereiro de 1987 foi encontrado morto, embaixo do seu carro e na garagem da própria casa, com a face literalmente grudada no cano de escapamento e, como sempre, motor ligado!
  • – Edwin Skeels, 43 anos, engenheiro da Marconi. também cometeu o “suicídio” da mesma forma que Morris Jessup, John Brittan e Peapell: dentro do seu carro, motor ligado e um conveniente tubo flexível conectando o escapamento ao seu interior!
  • – David Sands, projetista de satélites, como sempre da Marconi. Em março de 1987 seu automóvel, misteriosamente carregado com vários latões contendo centenas de litros de gasolina, sai da estrada em altíssima velocidade após efetuar uma incrível manobra em ângulo reto, invade um posto de gasolina abandonado e explode fragorosamente de encontro às suas paredes!
  • – Stuart Gooding, 23 anos, pesquisador altamente graduado do Royal Military College of Science. Em abril de 1987 seu carro misteriosamente “naufragou” (isso mesmo: naufrágio” de um automóvel!) em Chipre, em meio a experiências militares que o Royal College efetuava na ilha. Classificado como “naufrágio acidental”.
  • – Geoge Kountis, analista de Sistemas Avançados da British Politecnic. No mesmo mês e ano, seu automóvel BMW projetou-se nas águas revoltas do rio Mersey, em Liverpool, causando-lhe a morte por politraumatismos e afogamento. Essa morte foi classificada como “uma lamentável desgraça”.
  • – Mark Wisner, 24 anos, engenheiro de Software do Ministério da Defesa Britânico, na área de aeronaves de combate. Em abril de 1987 foi encontrado morto por sufocação, no interior da sua casa, tendo um saco plástico atado firmemente à cabeça. Classificação do crime: outra “experiência pervertida de natureza sexual”.
  • – Michael Bakker, 22 anos, especialista em comunicações digitalizadas da Plessey Defense Systems. Em maio de 1987 seu BMW espatifou-se em alta velocidade contra uma barreira de uma rodovia. Outra “lamentável desgraça”.
  • – Russel Smith, 23 anos, técnico e pesquisador em energia atômica. Em janeiro de 1988 seu corpo foi encontrado partido ao meio, abaixo de um rochedo em Cornwall. Outro “inexplicável suicídio”.
  • – Frank Jennings, 60 anos, engenheiro de armas eletrônicas, Também da Plessey Defense Systems. Em junho de 1987 um “ataque do coração” levou mais esse importante cientista.
  • – Trevor Knight, 52 anos, engenheiro de Computação da Marconi. Mais um que acompanhou Morris Jessup e os outros “suicidas”: em março de 1988 encontrado morto dentro de um automóvel, com o já tradicional tubo flexível ligando a descarga ao interior do veículo! – John Ferry, 60 anos, da própria diretoria da Marconi!

Em agosto de 1988 seu corpo foi encontrado em um apartamento, com vários fios desencapados ligados à boca, através dos quais a corrente de 220 volts, curto-circuitada, eliminou-o inapelavelmente. Um “suicídio” chocante!

  • – Alistair Beckham, 50 anos, engenheiro de Software da Plessey. Em agosto de 1988 o corpo foi encontrado no jardim da sua residência, situado atrás da casa. fios desencapados que se conectavam a fontes de energia elétrica estavam enrolados ao redor do peito do cadáver! Nessa estranha morte por eletrocussão, não foram encontrados quaisquer vestígios que pudessem sugerir um suicídio. Que teria sido então?
  • – Andrew Hall, 33 anos, engenheiro e gerente da British Aerospace. Em setembro de 1988, encontrado morto dentro do seu carro. Mais uma vez o tal tubo flexível, ao que parece o preferido por nove entre dez cientistas “suicidas” do Projeto Guerra nas Estrelas, voltara a atacar! Circunstâncias idênticas às das outras vítimas.

Somente nessa pequena e trágica lista, temos portanto 22 “acidentes e suicídios”, bastante estranhos e marotos, incluídas duas exóticas e surrealistas “experiências sexuais de natureza pervertida”. O objetivo de quem quer que esteve (ou ainda está!) por trás de tudo isso é claramente IMPEDIR QUE ARMAS EFICAZES sejam desenvolvidas com o intuito de combater os alienígenas: os que aqui estão e os que virtualmente virão!

Resta-nos contudo saber QUEM está desenvolvendo essas atividades assassinas. Lembremos que John Lear mencionou que um dos propósitos dos alienígenas aqui estabelecidos é exatamente exterminar aqueles que possam representar uma ameaça para eles! Por outro lado nada, nada mesmo, impede que a tal conspiração de cientistas e militares norte-americanos dissidentes que ainda hoje estaria atuante e aliada aos intrusos -ajudando-os nas suas sinistras atividades e obscuros propósitos- esteja fazendo das suas, exatamente eliminando os opositores dessa aliança traidora que estabeleceram e manteriam em conjunto com essas sinistras entidades!

A segunda pergunta é COMO exatamente essas estranhas mortes puderam se produzir? As suspeitas inicialmente concentraram-se sobre grupos terroristas, que por sinal não tiveram nada a ver com os casos, conforme apurou posteriormente a Scotland Yard. As famílias de todas as vítimas contestaram com veemência as hipóteses simplistas de suicídios.

Invariavelmente, todos os cientistas tinham vidas familiares normais, boas relações profissionais e estavam entusiasmadas, além de tudo totalmente dedicados aos seus trabalhos no Projeto SDI.

Os russos chegaram a ser suspeitos, mas da mesma forma nada se apurou quanto a isso. Sabe-se, contudo, que os investigadores teriam chegado a uma estranha perspectiva: falava-se de um raio da morte eletromagnético que teria sido dirigido diretamente aos cientistas vitimados, o qual através da emissão de ondas ultra-finas causaria indução mental às mudanças de comportamento, levando o alvo à profunda depressão com o subseqüente suicídio.

Enfim, para resumir, seria um dispositivo de uma tecnologia extrem amente avançada e além de tudo desconhecido pela nossa ciência e que verdadeiramente controlaria mentes, interferindo com as ondas mentais humanas, subjugando-as à vontade dos seus operadores!

Fonte: OVNIs – Mistérios Desvelado a Incrível Verdade! Sérgio Russo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s