Discos Voadores: O Maior Enigma do Nosso Tempo

Mas afinal de contas o QUE são essas espantosas máquinas que desde incontáveis milênios percorrem sem a menor cerimônia os nossos céus, e QUEM precisamente seriam os seus enigmáticos tripulantes?

Podendo justamente ser considerados como a maior interrogação do nosso século, são inúmeras as teorias que pretendem explicar como chegam até o nosso mundo, de onde viriam, e quais as exatas razões dessas insólitas visitas. De uma coisa, porém, podemos ter a mais absoluta certeza: a diferença verificada entre os formatos das naves e os tipos físicos daquelas criaturas que os tripulam, sugerem de pronto que somos visitados, seqüestrados, examinados e até eliminados por diversas raças – provavelmente originárias dos mais distantes mundos do espaço ideral; das dimensões mais insuspeitas ou até mesmo dos estranhos meandros do tempo!

Apesar das pífias argumentações dos tradicionais negadores, através das quais até mesmo alguns cientistas de renome pretendem que a Terra seja o único planeta neste incomensurável Universo a abrigar a vida, as provas, evidências absolutamente incontestáveis, cada vez mais se avolumam. E além disso As grandes potências mundiais sabem que eles de fato existem. E até que seria bem melhor que alguns deles não existissem.

Muito embora já presentes na nossa atmosfera há bastante tempo, foi precisamente em 1947 quando foram avistados pelo piloto Kenneth Arnold voando em formação sobre o Monte Ranier, que tais objetos, segundo a sua descrição “semelhantes a discos” e que se locomoviam pelo céu em estupenda velocidade, chamaram a atenção do mundo moderno para a sua real existência.

A princípio foram logo classificados como alucinações visuais, inversões de temperaturas, balões sondas, meteoritos e outras coisas menos palpáveis e, contudo, mais de acordo com os conhecimentos da época, uma vez que as grandes potências julgando-se detentoras absolutas da tecnologia, somente raciocinavam em termos bastante restritos, não querendo todavia admitir que pudessem existir outras formas de ciência, ou de avanços tecnológicos, que as sobrepujassem.

Porém, o famoso incidente de Roswell, que teve seu desfecho precisamente naquele mesmo ano, veio a demonstrar que a verdade não era bem essa! Uma dessas naves espatifou-se em uma fazenda, espalhando os seus destroços por uma vasta área. Nos restos calcinados da cabine principal do aparelho foram encontrados os corpos dos seres humanóides que o tripulavam, sendo que um deles chegou a ser levado com vida para instalações militares. Daí em diante foi iniciada uma bem montada cortina de acobertamento que vergonhosamente perdura até os dias atuais.

Um dos maiores problemas com relação ao espinhoso assunto dos OVNI é, contudo, precisamente a sua procedência. A hipótese mais aceita diz respeito à origem extraterrestre dessas máquinas e conseqüentemente das misteriosas criaturas que as tripulam. O tipo mais freqüente em atividade na Terra é precisamente o humanóide, seres de reduzidas estaturas, acinzentados, dotados de grandes olhos negros e oblíquos.

Os negadores pretendem que as imensas distâncias do espaço sideral seriam um enorme empecilho para que civilizações mais avançadas pudessem nele viajar de mundos para mundos, ou de galáxias para galáxias. Devemos ter em mente que em apenas pouco mais de cem anos a civilização terrestre evoluiu de uma maneira espantosa em termos de tecnologia, passando das carroças e da máquina a vapor para as viagens espaciais e os pousos tripulados em outros corpos celestes.

Nesse imenso Universo que nos cerca, certamente existirão mundo milhares, ou talvez milhões, de anos à nossa frente em matéria de evolução tecnológica. Por outro lado, conhecemos muito pouco em matéria das forças presentes no espaço sideral. Os famosos “buracos negros”, e a ciência já desconfia disso, podem ser verdadeiros atalhos que possibilitem aos eventuais viajantes encurtar enormes distâncias ou mesmo “atravessar” o tempo, atingindo muitas outras dimensões desconhecidas!

O segundo maior problema diz respeito a quê exatamente essas criaturas fariam por aqui. Aparentemente os OVNI se utilizam de certas formas de energia livre para a sua locomoção, as quais propiciariam os seus incríveis deslocamentos. Nada impede, contudo, que algumas dessas máquina possam necessitar de certos elementos não existentes nos seus mundos de origem. Muitos deles já foram flagrados sobre as nossas linhas de transmissão de força, notadamente as de alta tensão, e alguns outros sobre os rios, mares e lagos, exatamente extraindo água.

Os pontos de intenso magnetismo, geralmente onde existem misteriosos monumentos do passado, por seu turno construídos pelas nossas perdidas civilizações, parecem também atrair de maneira especial essas estranhas máquinas. Quando um OVNI se manifesta, igualmente se fazem presentes os distúrbios de natureza eletromagnética, responsáveis pelas perdas de energia, interrupções de funcionamento nas máquinas, motores e aparelhos eletroeletrônicos. O nosso planeta, como já sabemos, gera pontos de escapes de energias telúricas e também eletromagnéticas. Nada impede que esse tipo de força, seja positiva ou negativa, possa ser utilizado de alguma maneira pelos seus tripulantes.

Também os minérios, ou especialmente certos elementos radioativos, poderiam se tornar um especial fator de interesse para essas criaturas. Podem, na verdade, estar buscando aqui coisas para as quais não damos muita importância mas que talvez sejam vitais para o reabastecimento das suas naves!

Isso explicaria, muito provavelmente, os mergulhos delas nos nosso oceanos – freqüentemente relatados nos diários de bordo das aeronaves e embarcações. Contudo, existem possibilidades muito fortes de que tenham verdadeiras bases submarinas e até mesmo subterrâneas no nosso planeta. O que aliás não seria nenhuma novidade, pois, como já vimos, em plena lua os astronautas já fotografaram estranhas construções e também veículos se movimentando na sua superfície, numa atividade até bastante febril e que sugeriria minerações!

Fora isso, existem também aqueles que usam os seres terrestres como cobaias de certos exames médicos e experiências.

Alguns parecem denotar variados interesses científicos e isso sugeriria que aqui vêm exatamente com essa finalidade. Coisa que, aliás, os nossos astronautas também fariam se acaso nas suas viagens encontrassem um mundo novo e eventualmente habitado.

Contudo, existe uma certa faceta do espinhoso assunto e que foi levada a público por intermédio de ex-militares, cientistas e agentes de informações, dissidentes do Governo Americano e que estiveram envolvidos não somente nas pesquisas como também nas manobras de sigilo impostas sobre os OVNI. Esses denunciantes tiveram nas mãos certos documentos altamente confidencias e alguns até examinaram os restos dessas máquinas acidentadas, cuidadosamente guardados em instalações militares super secretas!

Uma certa raça dessas criaturas, denominada de reptilianos, vem ao nosso mundo (ou ao nosso tempo) para simplesmente buscar alimentos. Esses alimentos, obviamente, são os seres terrestres – animais e homens! Os estranhos e inexplicáveis casos de mutilações de animais, que afligiam e continuam afligindo desde muitas décadas todos os países do mundo, encontram uma explicação bastante lógica nessas denúncias.

Segundo elas, essas criaturas alienígenas teriam os seus organismos semelhantes aos insetos, ou vegetais, absorvendo enzimas e secreções hormonais, através das suas peles escamosas, muito semelhantes aos nosso répteis – daí a denominação que tiveram. De um certo tempo para cá, as criaturas humanas se tornaram uma excelente alternativa alimentícia – o que pode ser explicado pelos desaparecimentos e também pelo encontro de cadáveres humanos terrivelmente mutilados em todas as partes do mundo, e alguns deles precisamente aqui mesmo no Brasil!

Nada de se estranhar. Primeiramente pelo fato de os denunciantes serem pessoas sérias e dotadas de alto grau de confiabilidade. Em segundo lugar, nós também não criamos os rebanhos para fins alimentares? E se os nossos astronautas eventualmente em exploração a outros planetas necessitarem de alimentos de que não disponham, como e onde iriam procurá-los? Essa estranha raça de canibais, ao que parece, percorre todo o Universo em busca de fontes de alimentação e na Terra, ao que tudo indica, encontrou uma notável fonte, ou melhor dizendo, um notável repositório para as suas colheitas. Ou ainda, o que certamente seria uma definição talvez mais apropriada, caçadas.

Segundo documentos em poder dos órgãos de inteligência norte-americanos, seríamos visitados por nada menos que nove raças distintas, dentre as quais predominariam os seguintes tipos: os cinzas (ou grays), possuidores de grandes narizes; os cinzas humanóides (o tipo mais freqüente); os louros, à semelhança dos nórdicos e os alaranjados, ostentando cabelos vermelhos. Estes dois últimos tipos dotados de aparência humana.

As origens de alguns deles já estariam devidamente identificadas como certos planetas situados ao redor da Constelação de Órion; da estrela Barnard e também Zeta Reticuli– I e II. Contudo, alguns ainda não de todo identificados, ou reportados, parecem vir de outras dimensões, suposição esta reforçada pela notável característica de algumas das suas naves no sentido de se materializarem e desmaterializarem à vontade na nossa atmosfera.

Em uma das naves acidentadas, guardada na chamada Área- 51, a fonte de propulsão foi identificada como um mini-reator alimentado por um elemento não existente no planeta Terra e classificado como “Elemento 115”. Para espanto dos físicos e cientistas envolvidos no projeto, esse combustível era fornecido através de reduzidos discos destacáveis, a partir dos quais pequenos pedaços triangulares eram destinados à alimentação desse reator, que ora tornava-se radioativo e ora perdia essa propriedade, atuando como propelente e gerador de intensos campos magnéticos que por sua vez eram amplificados pelos campos gravitacionais gerados pela própria nave. Enfim uma tecnologia muito além da nossa compreensão atual e obviamente milênios à nossa frente!

Comprovou-se ainda que esses verdadeiros e além de tudo poderosos amplificadores de natureza gravitacional tinham por notável característica ampliar as ondas gravitacionais em contraposição às do planeta Terra. E, o que é ainda mais estranho e extraordinário do que isso, produzir seus próprios e específicos campos gravitacionais com a finalidade específica de distorcerem de alguma forma o tempo e o próprio espaço!

E como não é muito difícil de se deduzir, o material componente dessa nave examinada era incrivelmente indestrutível. Trata-se de uma espécie e metal levíssimo, como se fora uma estranha “pele”, sem emendas ou costuras, parecendo como que moldado a partir de uma forma de injeção, assim como acontece com os nossos plásticos. O fogo, os projéteis de armas de fogo, as bombas, tudo enfim é incapaz de abalá-lo. O que aliás as grandes potências já sabiam, pois perderam centenas de aviões tentando de alguma forma interceptá-los e destruí-los nos nossos céus!

E também têm conhecimento de muitas coisas mais, como por exemplo o fato de existirem na órbita da Terra uns curiosos satélites que não são obras da nossa engenharia e que além de tudo circulam em trajetórias totalmente contrárias aos nossos. Um deles tem até o sugestivo nome de ‘O Cavaleiro Negro”. E, o que é bem pior, não se deve tentar perturbá-los pois alguns astronautas já foram eliminados em pleno espaço quando tentavam, em missão
oficial e específica para isso, bisbilhotá-los!

Obviamente estamos lidando com inteligências muito superiores e algumas delas bastante hostis. Os arquivos ufológicos estão repletos de relatos sobre ataques a navios, aviões militares e comerciais, estes repletos de passageiros, bem como alguns casos comprovados de seqüestros, mutilações e mortes de criaturas humanas.

Já avistados desde os chamadas eras pré-históricas, as provas disso estão nos desenhos das cavernas que as retratam, essas máquinas misteriosas que parecem desafiar, e de fato desafiam, o próprio tempo e o próprio espaço. Isso sugeriria que algumas delas não sejam necessariamente de procedência extraterrestre mas, sim, avançadíssimos vetores de uma misteriosa civilização que atingiu o domínio das viagens e dos deslocamentos através do tempo, podendo assim vir de um futuro distante ao passado da maneira que mais lhe convier!

E não está muito longe a hipótese que alguns exemplares desses OVNI possam ser originários daqui mesmo, ou seja do próprio planeta Terra, tripulados por aqueles que nos sucederão no ano 3000, 4000 ou 5000, por exemplo, e que talvez não necessariamente sejam de origem terrestre. Certos discos voadores têm sido vistos e reportados se materializando e da mesma forma se desmaterializando de maneira surpreendente e inexplicável na nossa atmosfera. Eles simplesmente entram e saem do nosso mundo tridimensional, como se verdadeiramente viajassem em corredores, ou ondas portadoras de tempo!

Assim como todas as grandes potências mundiais sabem que eles têm bases instaladas no nosso sistema solar, em quase todos os planetas e nos seus respectivos satélites e que algumas cápsulas espaciais terrestres foram devidamente destruídas ao tentar espioná-las!

Os OVNI são como uma espécie de fantasmas silenciosos e no entanto bastante reais. Muitos deles já foram vistos mergulhando nos nossos oceanos, sem no entanto sequer movimentar a água, como seria normal nesses casos. Tais avançados conhecimentos implicam no profundo conhecimento da estrutura atômica e também da matéria, mas os seus tripulantes parecem que violam todas essas regras que hoje timidamente conhecemos e, ao que tudo indica, já atingiram essa espantosa tecnologia há bastante tempo!

E por falar em oceanos, também existem os chamados OSNI (Objetos Submarinos Não Identificados), largamente avistados desde os tempos conhecidos da navegação.

Freqüentemente reportados nos modernos diários de bordo até mesmo de embarcações militares, parece que eles nada mais são do que os chamados Discos Voadores quando se locomovem nas suas missões submarinas aqui na Terra. O que querem lá por baixo dos oceanos também representa um mistério. Em 26 de julho de 1980 um impressionante caso teve como protagonista o rebocador Caioba-Seahorse, quando se encontrava a cerca de 95 quilômetros da costa brasileira. Uma intensa luz submarina se aproximava em rota de colisão com o navio, cujo capitão ordenou imediatas manobras de evasão. O objeto submarino acompanhou tais manobras e repentinamente postou-se a bombordo, sendo perfeitamente visíveis o seu formato oblongo e uma espécie de proa, dotada de uma luz vermelha intensa. Todas as máquinas do navio estancaram e os seus instrumentos de navegação imediatamente enlouqueceram. A apavorada tripulação viu então quando, bem acima daquela coisa, surgiu um enorme objeto ovalado, com cerca de dez metros de envergadura, intensamente luminoso que parecia escoltar, do céu, o seu companheiro submerso. Para espanto de todos, o OVNI que se situava a cerca de 60 metros de altura, verdadeiramente parece ter recolhido o outro e ambos se uniram, elevando-se em grande velocidade na vertical.

A recente tragédia que em outubro de 2000 envolveu o Kursk, gigantesco submarino nuclear russo, no Mar de Barents, e que causou a morte de todos os 118 tripulantes, alguns deles lenta e horrivelmente por asfixia, presos no casco adernado do submersível, não teve qualquer explicação lógica. As conclusões a que chegaram as equipes internacionais de peritos e de mergulhadores que visavam à recuperação dos corpos e à descoberta dos reais motivos desse estranho acidente, foi a de que o Kursk colidira com outra embarcação submersa, o que causou duas violentas explosões na sala de torpedos, situada na proa. O mistério é precisamente QUAL embarcação submersa teria sido essa, uma vez que não havia nenhuma delas, sejam soviéticas ou estrangeiras, no dia, hora e local do acidente. Navios espiões americanos que estavam pelas redondezas confirmaram nos seus sonares um violento choque contra um objeto qualquer que se locomovia por baixo da água, diretamente na direção do Kursk. E seja lá o que tenha sido incrivelmente continuou o seu caminho, sem sofrer nenhuma dano!

OVNI e OSNI, simples “ilusões de ótica”, assim como pretendem alguns cultores da desinformação e os negadores contumazes do fenômeno? De jeito algum, principalmente porque “fenômenos submarinos e atmosféricos desconhecidos” não fazem, por exemplo, aquilo que aconteceu na guerra da Coréia, em 1950 e que além de tudo foi testemunhado por dezenas de pessoas:

Um cargueiro japonês era sobrevoado e espionado por dois caças Migs soviéticos, no Mar do Japão. Subitamente um imenso objeto voador de formato discóide aproximou-se em espantosa velocidade e estancou no ar, a certa distância, como que a observar a cena e a desafiar os aviões de combate. Os pilotos russos desistiram da embarcação e passaram a cercar o OVNI, rodeando-o ameaçadoramente. O pessoal do navio captou quando um dos pilotos ordenava através do seu rádio de bordo para que o estranho objeto se identificasse. Como obviamente não houve qualquer resposta, partiram então para o ataque. Na primeira passagem, os Migs abriram fogo com as suas potentes metralhadoras, nada acontecendo, porém, com o estranho e invulnerável objeto voador. Novamente rodearam a presa e pela segunda vez abriram fogo.

Quando, porém, faziam a terceira investida aconteceu uma cena digna de um pesadelo: os dois caças subitamente estancaram no ar, ficaram incrivelmente suspensos, frenados por uma força verdadeiramente diabólica e acima da nossa compreensão.

Começaram então a vibrar intensamente e a se desfazer em minúsculas partículas, assim como um espelho quebrado. Seguiu-se uma violentíssima explosão que os desintegrou totalmente, sem deixar qualquer vestígio. O OVNI, inabalável, deu uma volta no ar e disparou em estupenda velocidade rumo às camadas mais altas do céu!

Enfim, em se tratando de tão intrigante e assombroso enigma, talvez devêssemos ser mais humildes e ouvir com bastante atenção aquilo que um dia escreveu Charlie Paz:

Nós, terrestres, estamos no limiar de uma nova era, que pode nos abrir novos mundos e novas experiências. Não estamos sós no Universo. Somos como residentes em um grande prédio e estamos a fazer muito barulho. Algum dia nossos vizinhos virão bater-nos à porta e pedir (ou exigir) para fazermos menos barulho

Anúncio-da-Aerolineas-ArgentinasAvistados por “12” de cada 10 pilotos das aviações civil e
militar, os OVNI já fazem até mesmo parte da propaganda.
Nesta, por exemplo, além da foto de um deles, o texto
tacitamente os reconhece, ao dizer “Já que não é possível voar
nesses maravilhosos e discutidosOVNIs, voe conosco através do
Jumbo”.

OVNI_Nesta impressionante foto, obtida nos EUA, vemos o
método de trabalho de certos tripulantes de OVNI,
responsáveis pelos seqüestros, mutilações e mortes de
animais e seres humanos! As vítimas são literalmente sugadas
para os interiores das naves, ali despojadas de seus órgãos
internos e fluidos corporais e depois jogadas de volta ao solo,
como objetos descartáveis. Nesta imagem, vemos a explicação
para o fato de que nunca se encontram rastros ou pistas
junto às carcaças e aos despojos abandonados no chão.

Fonte: Insólito! Mistérios do Céu, da Terra, do Espaço e do Tempo – Sérgio Russo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s