Feitiço e Feiticeiras

Existem à nossa volta sacramentos do mal, da mesma forma que existem sacramentos do bem, e a nossa vida e os nossos atos, desenrolam-se, segundo creio, num mundo insuspeitado, cheio decavernas, sombras e habitantes crepusculares(Arthur Machen)

Ambicionando o poder, a força, o pretenso domínio da natureza e das coisas materiais, desde que se entendeu como uma criatura racional o homem menos esclarecido e ignorante, esquecendo que Deus muitas vezes nega as nossas súplicas por pura misericórdia, tenta perigosamente buscar no outro lado da Divindade as coisas que aparentemente lhe foram suprimidas, ou então negadas.

Sempre movidos pela crueldade, pelo ódio e notadamente pelas ambições mais desmedidas, os praticantes daquilo que chamamos de “magia negra”, os feiticeiros em si, estão presentes desde que o mundo é mundo e até mesmo nos dias de hoje, quando paradoxalmente já atingimos outros corpos celestes em meio a um notável desenvolvimento tecnológico.

Mas, afinal de contas, existe mesmo esta espécie antinatural de magia, bem como os chamados feitiços? É precisamente o que iremos agora examinar!

Os homens primitivos, aqueles que habitavam as cavernas, foram os primeiros a se utilizarem de certos rituais mágicos destinados não somente à proteção pessoal como também a prover os meios necessários à sua subsistência naquele mundo incipiente, extremamente selvagem e hostil.

Quando desenhavam nas cavernas as figuras dos bisontes, dos mamutes e até dos seus inimigos estabeleciam um laço mágico de “amarração”, inconscientemente projetado no espaço através da força mental unificada, ampliada por sua vez pelo desejo muito forte daquilo que se almejava conseguir. Assim, lhes era concedida uma certa força, ou energia amplificada, a qual beneficiava as caçadas e que efetivamente traziam para eles os objetivos desejados.

Logo perceberam que a mente podia de fato interagir com certas faculdades presentes na natureza, o que os levou a moldar plasmaticamente certas divindades, das quais acreditavam provir determinados padrões mágicos, por seu turno extremamente poderosos. Esses deuses logo foram adorados e receberam nomes, e foram através dos tempos sendo psiquicamente, ou se preferirmos etereamente, alimentados através dos sacrifícios, a princípio inocentes oferendas presentes na natureza, tais como as flores e perfumes, para logo depois, servindo aos objetivos pervertidos dos primeiros feiticeiros, passarem a receber horrendos sacrifícios de sangue, que incluíam vítimas humanas.

A magia negra começou portanto em tempos muito remotos, logo se estendendo por todas as partes do mundo, então escassamente habitado. Os magos negros e os feiticeiros, que segundo a Tradição teriam sido os principais responsáveis pela perversão espiritual e pela queda da Atlântida, foram perpetuados através dos tempos, notadamente nas perdidas civilizações Mais e Azteca – nas quais os sacrifícios humanos passaram a alimentar de maneira muito especial uma egégore do mal, que cada vez mais se fortalecia.

Essa egrégore (ou força magnética e psíquica, condensada e acumulada) maléfica, foi bastante utilizada pelos sacerdotes do Antigo Egito, precisamente naquilo que conhecemos como “Maldição dos Faraós” e que, como sabemos, foi a responsável pelo enorme número de inexplicáveis baixas no quadro dos arqueólogos e profanadores mais afoitos.

Já sabemos através das páginas deste livro que as chamadas “sombras” tendem a se manter exatamente às custas dos psiquismos humanos, drenando vitalidade de um corpo físico – o que pode levar inclusive à morte. O feiticeiro, tanto o de ontem quanto o de hoje, empiricamente e muito embora muitas vezes nem saiba disso, trabalharia exatamente com essa propriedade espúria.

As oferendas de magia negra, sempre postadas nas encruzilhadas (pontos convergentes de forças negativas e propícias ao telurismo), são compostas quase sempre pelo derramamento do sangue; pelas emanações de certas comidas e temperos fortes; pelas bebidas alcóolicas de baixa qualidade; pelos fumos virgens e também pelos hediondos sacrifícios de animais. Quando um animal é sacrificado nessas ocasiões, seu psiquismo de natureza inferior, serve literalmente de alimento para a sombra que ali fora invocada.

E em cerimônias mais “pesadas”, os magos negros sempre se utilizam do sacrifício de inocentes crianças!

Foi na antiga África que as tribos primitivas passaram a fazer contato mais estreito com certas entidades, algumas benéficas e outras maléficas. Os primeiros negros chegados na condição de escravos ao Brasil, por exemplo, trouxeram para o país recém colonizado toda uma nova cultura associada a essas assim consideradas divindades, inclusive até hoje reverenciadas.

Existem, porém, muitas variantes da magia negra e dos feitiços. Ambos operariam através dos processos de projeções mentais e das similaridades. Na magia negra, por exemplo, acreditam que um boneco feito com pedaços de roupas ou alguns fios de cabelos da pessoa visada (o chamado Vodu, muito em voga no Haiti) possa servir de elo contra ela – representando através de um processo de extensão mágica o seu próprio corpo. Espetando alfinetes e recitando imprecações de ódio, o feiticeiro acredita que possa levar à vítima doenças e malefícios físicos, precisamente naquelas partes atingidas. Isso se baseia, contudo, em um princípio verdadeiro: o fato de que tudo aquilo que é nosso, que tocamos ou usamos, bem como as partes do nosso corpo mais simples, tais como um fio de cabelo ou um pedaço de unha, guardam nossas vibrações e até mesmo um certo eflúvio místico para conosco!

O sapo é um animal largamente empregado nesses trabalhos. Esse curioso animal é um estranho fenômeno da natureza e foi largamente empregado na magia dos Incas. Ele pode, por exemplo, ficar preso por um desabamento dentro de um bloco de calcário qualquer. Sem ar e sem alimento, ele entrará em um misteriosos processo de hibernação suspensa, capaz de mantê-lo vivo mesmo que se passem mil anos! Além disso o seu sangue e o seu poderoso veneno dispõem de poderosos elementos catalisadores que verdadeiramente fizeram, e fazem, a “festa” dos feiticeiros. Um dos empregos mais terríveis deste animal, consistem em colocar o nome da pessoa visada, escrito em um pedaço de papel e costurado dentro da boca de um sapo vivo. Soltase, ou enterra-se, o animal, de preferência em um cemitério, e logicamente ele irá sofrer terrivelmente mas não morrerá, utilizando-se das suas curiosas propriedades. Novamente, por um processo de pura repercussão, acredita-se que aquela pessoa cujo nome está dentro da sua boca vá acompanhar tal sofrimento até que a morte lhe sobrevenha.

Outros animais essencialmente mágicos (e pestilentos) costumam ser largamente utilizados, tais como: morcegos, serpentes, aranhas, e também os gatos (por suas características altamente magnéticas) -todos fazendo parte de alguns dos mais estranhos feitiços e rituais negros.

Existem até coisas curiosas e que seriam cômicas se não fossem trágicas, como por exemplo: para se prejudicar alguém, basta escrever seu nome em um papel (sempre a lápis), introduzi-lo no orifício anal de um frango (!!!) e soltá-lo. Logicamente o animal sairá correndo em desespero e encontrará a morte após longos sofrimentos, o que o feiticeiro espera igualmente venha a ocorrer com a sua vítima. Também uma banana, dizem, poderia fazer o mesmo efeito, visando a especificamente “embaraçar” por um processo de repercussão a vida da pessoa visada. Bastaria abrila, colocar no seu interior o nome da vítima e enrolá-la com bastante barbante (quanto mais melhor). Depois, jogá-la em um lugar bastante sujo onde ninguém mexa, para que apodreça lentamente.

Costumam também esses praticantes da magia negra perverter a religiosidade e as religiões instituídas, crucificando exatamente um sapo, de cabeça para baixo, ou então, assim como ensina um velho manual de feitiçaria (precisamente o Gregorium Verum, do século XVIII) fincando-se um prego retirado de um caixão na pegada da pessoa a quem se deseja destruir ao passo que recitam um Pai Nosso ao contrário e dirigido ao oposto da Divindade, ou o anticristo, e que começa exatamente assim: “pai nosso que estás na Terra, faz mal a fulano até que eu te remova!” As chamadas missas-negras, também muito em voga na Idade Média, são por sua vez, ainda hoje, praticadas em lugares sinistros, verdadeiras igrejas do mal repletas de símbolos satânicos, e oficiadas obrigatoriamente sobre o corpo de uma mulher nua!

Tudo aquilo que vai, volta – devido à propriedade física, e também espiritual, da ação e reação. Não esqueçamos, porém, que a manipulação da magia negra gera um Carma negativo que, por força daquilo que os esoteristas chamam de “o choque do retorno, inevitavelmente fará uma volta de 360 graus ao redor do planeta e, retornando ao operador, será inexoravelmente cobrado – sempre na mesma intensidade, ou quem sabe ainda, como uma espécie de castigo, bem mais amplificada!

O erotismo e as perversões sexuais parecem estar intimamente associados aos ditos trabalhos de magia negra – também atuando por processos de similaridade e pela invocação dos chamados “demônios”. Durante essas ocasiões, ocorrem as “incorporações”, sempre estimuladas pelos ritmos mais frenéticos que as propiciam, nas quais os médiuns se tornariam possuídos pelas entidades desconhecidas que invocam e que, pouco a pouco, também os levam à implacável destruição física, moral, material, espiritual e mental.

Psiquismos fracos e impressionáveis à parte, parece de fato haver algo de verdadeiro nas ditas possessões, ou incorporações. Em meados do ano 2000, o Papa João Paulo II foi ele próprio protagonista de um grande fiasco ao ser incapaz de exorcizar uma mulher que, tomada de transe, durante uma das suas aparições públicas desatou a fazer imprecações e falar em uma língua desconhecida!

Aliás, certas sombras malévolas, ou se preferirmos entidades demoníacas, parecem ser bastante antigas e até mesmo dominar vários idiomas, alguns totalmente extintos! Nesse sentido, um dos casos mais notáveis ocorreu em 1619, na França, quando uma mulher viúva cujo sobrenome era Rainfaing, ligada às artes negras e que teria feito um pacto com as forças ocultas, caiu em transe sendo objeto de vários exorcismos. A coisa que se apoderara da sua mente e da sua vontade, respondia perfeitamente aos perplexos padres em latim, hebraico e grego! E até mesmo os corrigia quando cometiam erros na pronuncia de certas palavras! E ainda se dava ao luxo de criticar os rituais praticados, até mesmo dizendo aso perplexos padres: – Não é costume exorcizar nessa língua, burro!

De fato, os operadores dessas forças negras não fazem a menor idéia e tampouco conhecem as energias com as quais lidam, ou perigosamente se identificam. A magia, propriamente dita, não conhece preceitos morais e aciona certas forças que podem ser extremamente funestas se erradamente manipuladas. Costuma-se dar um exemplo bastante específico e até bem apropriado: pode-se utilizar uma torneira para lavar as mãos, tomar um banho ou mesmo preparar o nosso alimento. Em contrapartida, podemos usála para afogar um recém-nascido, cometer um crime. O fluxo da água jamais terá sido afetado. A moral envolvida no processo dependeu então do nosso gesto e da nossa vontade!

Assim, enquadram-se também as chamadas “simpatias”, que muitos praticam sem o menor conhecimento de causa, largamente utilizadas para arranjar maridos, fazer os amores perdidos retornarem, afastar vizinhos abelhudos e assim por diante.

Tudo opera por um processo de similaridade. Acredita-se também que uma vontade bem projetada pode se plasmar no plano astral, vindo a se concretizar no físico. E a utilização dos elementos acessórios pode ser uma espécie de “ancoradouros” materiais para, por assim dizer, firmar os atos da visualização do que se deseja
atingir e amplificar a volição imperiosa de sua manifestação.

Em 1307, quando a Igreja Católica extinguiu a Ordem dos Templários, sob a acusação de feitiçaria mas por trás de tudo ambicionando os seus bens, condenou o seu grão-mestre Jacques de Molay à morte na fogueira. Este, no momento em que o fogo o consumia, lançou uma maldição contra o Papa Clemente V e o seu cúmplice naquela empreitada, precisamente o rei. Nos dias que se seguiram, todos os Cavaleiros da Ordem do Templo (mais de mil) foram trancafiados nas masmorras denominadas “Porte des Tours”, ali ficando sem água e comida até a morte. Assim como os homens das cavernas enfeitiçavam a caça e os seus inimigos, alguns Templários também fizeram um notável feitiço, que pode ser visto até os dias de hoje naquelas ruínas:

Após uma imagem gravada nas velhas paredes mostrando uma estranha cena de crucificação, na qual a imagem de Cristo chora, segue-se um outro desenho envelhecido pelo tempo que nos mostra estranhos símbolos e a representação do Papa com a sua mitra a emergir do ventre de uma monstruosa serpente, numa clara alusão ao telurismo que deveria devorá-lo.

Os símbolos sagrados que tradicionalmente os papas carregam estavam invertidos: o báculo na esquerda e o manipula no direito. Uma Cruz Templária imobiliza a cabeça da serpente e um anjo a trespassa com uma lança em forma de cruz. O anjo está postado de modo a simbolizar a Lâmina 16 do Tarô (A Torre Fulminada!) e a imagem do papa Clemente V, com os braços abertos em sinal de desespero, invoca a Lâmina 21 (O Louco!).

Logo abaixo, precisamente no corpo da serpente infernal, escrito em latim o estigma da maldição: “Clemente V, O Destruidor do Templo”. E sabe-se que por durante SETE noites consecutivas (um número mágico), SETE Cavaleiros Templários se revezavam diante daquela imagem para projetar na direção do pontífice todo a dinamização do seu ódio e o desejo potencializado da sua vingança.

Trinta e sete dias depois, não somente o Papa como posteriormente também o rei, morriam, doentes e enfraquecidos, após imensos sofrimentos coroados por uma longa e tenebrosa agonia!

Tudo parece provir de um tipo muito forte de concentração de boas ou más intenções por parte do feiticeiro, e por vezes da conjuração e o correspondente auxílio de certas forças desconhecidas e negativas que nos tempos modernos vibram no envoltório áurico da Terra, cada vez mais envenenado, poluído e hostil.

Os feiticeiros também se utilizam de certas poções ditas mágicas, sempre produzidas a partir de poderosos venenos ou mesmo ervas, raízes e folhas. Isso se torna ainda mais eficiente, incrementa o poder da chamada “magia negra”, pois quando a vítima as ingere, quase sempre sem o saber, fica literalmente envenenada, podendo mesmo morrer ou vir a padecer de distúrbios físicos para os quais a medicina ainda não conhece a cura. Aí, sim, não existe nada misterioso mas a aplicação prática, ou empírica, de uma ciência química. Basta, portanto, saber empregá-la!

A feitiçaria se utiliza mais do poder de intimidação. De fato, se uma pessoa sugestionável for afetada (mesmo que seja por palavras) ou intuitivamente sentir isso, a simples manifestação do medo e a crença nos poderes ocultos da magia negra criará também, por um processo de empatia e posterior agregação, um envenenamento mental que praticamente “abrirá a sua guarda”, propiciando desde dentro uma inevitável ciclo de autodestruição que favorecerá as doenças, os infortúnios e até mesmo a morte!

Apesar de noventa por cento dos charlatanismos, ou das pessoas que se auto-intitulam feiticeiros para unicamente amedrontar os crédulos e deles se aproveitarem de todas as maneiras, inclusive ganhando bastante dinheiro com isso, os dez por cento restantes nos diriam que existe realmente qualquer coisa no que tange à misteriosa e muito antiga arte da magia negra.

Enfim é tudo mesmo muito estranho. Ao nosso redor certamente existem, e por conseguinte vibram, certas forças incontestáveis.

E não somente os famigerados cemitérios devem ser devidamente evitados pelas pessoas de bom senso, como também e muito principalmente as MULTIDÕES, onde realmente pululam sombras e seres demoníacos, que literalmente atacam o psiquismo das pessoas, levando-as aos tumultos, aos desatinos, aos vandalismos e às desgraças mais diversas. Fotografias impressionantes assim o atestam, nas quais criaturas horríveis, seres do pesadelo, são captadas pelas sensíveis películas, sempre presentes ao lado dos espectadores e literalmente vampirizando-os.

Energias sutis, enigmáticas, vindas talvez de algures ou quem sabe alhures. E (o que nunca seria demais acrescentar) sobretudo terríveis, muito pouco conhecidas!

Tal como um dia Miguel Cervantes, muito apropriadamente aliás, escreveu: “No creo em brujas, pero que las
hay, las hay!

aNesta foto, aparentemente inocente (especial cortesia de Jeff
Sawyer), de uma cerimônia realizada em uma escola
americana, podemos ver o perigo das multidões. Criaturas
espectrais horríveis tomam lugar na platéia! Os olhos não
vêem, mas os filmes captam…

aaNeste primeiro corte, uma coisa “gruda” na cabeça de
um espectador, invadindo a sua aura e, ao que parece, visando
o seu chakra coronariano, vampirizando assim o seu
psiquismo.
Acima dela, algo que lembra um rosto espectral, voltado
para o alto, onde também se vê um “orb” na sua parte
superior. À direita deste “orb”, uma sinistra sombra negra!

aaaAqui, vemos um espectro semelhante a um esqueleto,
igualmente atacando o psiquismo de um desavisado espectador.

aaaaEste, o mais terrível de todos, um autêntico “demônio”,
parece ser até dotado de asas tal como um vampiro. Ao seu
lado, na direita, aparece outro estranho e caricato rosto!
Obviamente essas coisas sinistras não estão nem um
pouco interessadas no espetáculo, dele se servindo apenas
para se alimentarem dos psiquismos humanos mais
vulneráveis.
E se isso acontece neste tipo de evento, por sinal até
bem “light”, imagine-se o que não ocorre nos estádios
desportivos, nos bailes carnavalescos, nos tumultos em geral
e nos botequins (onde sempre surgem desavenças e
assassinatos), quando as turbas se agitam em meio às bebidas,
à devassidão e à violência desenfreada, muito provavelmente
causadas por essas mesmas invisíveis, porém insidiosas e
demoníacas criaturas.

Fonte: Insólito! Mistérios do Céu, da Terra, do Espaço e do Tempo – Sérgio Russo

Anúncios

2 pensamentos sobre “Feitiço e Feiticeiras

  1. Canecos vivos e piteiras vivas.

    1) Muitos espíritos desencarnados mantém um forte apego as coisas matérias, aos vícios e desejos terrenos, como eles não possuem mais o corpo físico para saciar tais vícios e desejos eles vão procurar algum encarnado que tenha os mesmos desejos e vícios, os desencarnados apegados ao vicio do cigarro vão procurar encostar o seu perispirito no perispirito do encarnado que esta fumando e vão sugar os fluidos da nicotina num processo chamado de Vampirismo psíquico.
    É um espécie de colagem perispiritual, no qual os desencarnados podem sentir as sensações da vida terrena, os desencarnados apegados ao vicio da bebida, vão procurar os encarnados que tenham também o gosto pela bebida alcoólica, eles encostam o seu perispirito no perispirito do encarnado que esta bebendo e vão sugar as emanações fluídicas do álcool, é o vampirismo psíquico.
    Vamos concluir, que os encarnados viciados no tabagismo e na bebida alcoólica são visados pelos espíritos desencarnados que tem os mesmos desejos e vícios, lutar para se libertar desses vícios é muito importante para nosso crescimento espiritual, o Espírito se reencarna no mundo terra é para Evoluir no campo moral e no campo intelectual pela pratica do Bem e das Virtudes, cada vicio é uma trava para nossa Evolução, os maus espíritos ficam vigiando os encarnados que são invigilantes com seus pensamentos e conduta moral e procuram estabelecer uma Sintonia com a mente das pessoas, e os vícios é uma porta aberta para os espíritos desencarnados que estão apegados a matéria e as sensações terrenas, eles procuram um encarnado que sirva de prolongamento vivo para os seus desejos e prazeres.
    O encosto se processa pela colagem perispiritual de um desencarnado em um encarnado, e dessa forma o encarnado é usado para transmitir sensações para esse espíritos inferiores, perturbadores e obsessores do plano astral.

    2) Os espíritos desencarnados são criaturas humanas sem o corpo físico, encontramos no mundo espiritual ou plano astral as mesmas pessoas que encontramos no plano terreno, a única diferença que os desencarnados estão livres do corpo carnal e os encarnados possuem um corpo físico.
    A morte ou desencarnação não modifica as condições morais e intelectuais do Espirito, continuamos a ser no plano astral aquilo que fomos no plano material, as pessoas maldosas, desonestas, racistas, viciadas, mentirosas, continuam com essas características morais negativas, as pessoas corretas, bondosas, honestas, cultas, caridosas, dignas, continuam com esses valores morais positivos.
    A desencarnação é apenas uma mudança de matéria, saímos da matéria física e densa e vamos para a matéria fluídica do mundo espirtual.
    Muitos desencarnados querem continuar a sentir as sensações da vida material, como eles não possuem o corpo carnal possuem apenas o perispirito, eles vão procurar os encarnados que possam ser usados como prolongamentos vivos de seus desejos carnais.

    3)Os encarnados viciados na bebida são canecos vivos para os espíritos desencarnados que querem continuar a sentir o gosto da bebida.
    Os encarnados viciados no tabagismo são piteiras vivas para os desencarnados viciados na nicotina.
    Da mesma forma, os encarnados viciados no jogo, na gula e nas drogas, são prolongamentos vivos para esses espíritos inferiores do plano astral.
    É por isso que devemos combater esses vícios, para podermos afastar esses espíritos viciosos e ociosos do plano astral, o vampirismo também é praticado por espíritos que procuram sugar os fluidos vitais dos encarnados, esse processo de obsessão leva as pessoas ao esgotamento físico e psíquico, a defesa contra o vampirismo psíquico e as obsessões, esta no comportamento Moral e nos pensamentos das pessoas, as pessoas que procuram levar uma vida correta, digna, honesta, sem vícios, procura cultivar pensamentos elevados e positivos, procura praticar o Bem e as Virtudes, ela consegue elevar o seu Padrão Vibratório, dessa forma ela afasta os maus espíritos e atrai os Espíritos de Luz.
    O Bem atrai o Bem.
    O mal atrai o mal.
    Essa é a lei psíquica das atrações que as pessoas praticam com seus pensamentos, sentimentos e atitudes, ter uma assistência espiritual positiva ou negativa depende somente de nós.

    4) As causas básicas das Obsessões foram colocadas por Emmanuel e Cheila na psicografia de Chico Xavier, são:
    a) a cabeça e mãos desocupadas
    b) a palavra irreverente
    c) a boca maledicente
    d) a conversa inútil e fútil prolongada
    e) a atitude hipócrita
    f) o gesto impaciente
    g) a inclinação pessimista
    h)o apego demasiado a coisas e pessoas
    i) o comodismo exagerado
    j) a solidariedade ausente
    m) considerar nosso trabalho excessivo
    n) o desejo de apreço e reconhecimento
    o) o impulso de exigir dos outros mais do que de nós mesmos
    p) fugir para o álcool ou drogas estupefacientes

    São essas imperfeições morais que atraem pela sintonia vibratória dos pensamentos os espíritos inferiores, perturbadores e obsessores do plano astral, a defesa psíquica contra os maus espíritos esta em nossa melhoria Moral e Mental.
    O Mestre Allan Kardec, fala em seus livros, que a autoridade que o homem tem sobre os maus espíritos esta no ascendente Moral, enquanto maior este maior é a autoridade, tudo depende do ascendente Moral.
    O Mestre Allan Kardec explica, que são as nossas imperfeições morais que vão atrair os maus espíritos, da mesma forma, que as moscas farejam as chagas do corpo, os maus espíritos farejam as chagas morais da alma, para evitar as moscas basta limpar o corpo, para evitar os maus espíritos, basta Limpar nossa alma de suas impurezas morais, essa LIMPEZA MORAL é muito importante para podermos repelir os espíritos perturbadores e obsessores.
    5)Atraímos espíritos desencarnados que tenham afinidade com a nossa forma de pensar, sentir e agir, pessoas com maus pensamentos, vícios, maus desejos, maus hábitos, com sentimentos impuros de ódio, raiva, egoísmo, falsidade, desonestidade, racismo, arrogantes, exploradores, corruptos, imorais, estão atraindo pela SINTONIA vibratória espíritos desencarnados que pensam e sentem da mesma forma, os semelhantes atraindo os semelhantes.
    Tudo é Afinidade ou Sintonia no mundo espiritual.
    O Bem tem sintonia com o Bem
    A Virtude tem sintonia com a Virtude
    A Verdade tem sintonia com a Verdade
    O mal tem sintonia com o mal
    O vicio tem sintonia com o vicio
    A mentira tem sintonia com a mentira

    Elegemos nossas companhias espirituais conforme nossa forma de pensar, sentir e agir.
    Os espíritos desencarnados apegados aos vícios terrenos procuram os encarnados que tenham os mesmos vícios, o vicio atraindo o vicio.
    O gosto pela bebida, pelo cigarro, pelo jogo, pela gula e pelas drogas são CONVITES para os espíritos sem Luz, ainda apegados aos prazeres matérias da vida terrena, muitos encarnados amantes da bebida alcoólica são VAMPIRIZADOS por espíritos famintos pelas emanações fluídicas do álcool, esses espíritos procuram colar o seu perispirito no perispirito do encarnado tipo uma simbiose fluídica e depois vão sugar os fluidos etílicos pela vampirização, isso ocorre também com o vicio do cigarro, das drogas e da gula.
    Todo viciado será vampirizado mais cedo ou mais tarde pelos espíritos ignorantes do plano astral.
    Existe o vampirismo praticado nos sacrifícios de animais nesses centros de macumbas, candomblé, quimbanda e centros de magia.
    O sangue derramado nesses sacrifícios é vampirizados por espíritos obsessores, eles vão sugar os fluidos vitais, é por isso que nesses centros se pedem sacrifícios de pobres animais, o sangue esta cheio de fluidos vitais e esses espíritos ignorantes sugam tais fluidos.
    Os animais são nossos irmãos menores na escala evolutiva, devemos respeitar e amar os animais, quem pratica esses sacrifícios são pessoas ignorantes e maldosas, muitos animais antes de morrer são TORTURADOS e MUTILADOS VIVOS para agradar os malditos orixás que são espíritos moralmente imundos e bestializados, outros animais são enterrados vivos em certas praticas da magia e do candomblé.
    Os Espíritos de Luz jamais vão pedir despachos, velas, charutos, cachaça e sacrifícios de pobres animais, quem pede tais coisas absurdas são espíritos imundos, porcos e marginais do plano astral, devemos raciocinar muito nessas questões.
    Perguntamos, os Espíritos Elevados e Superiores e os Bons Espíritos vão pedir despachos, velas, charutos, cachaça e sacrifícios de animais???
    Gostaria de uma resposta.

    6) Os animais merecem ser TORTURADOS, MUTILADOS VIVOS nesses sacrifícios???
    Devemos defender os animais que são nossos irmãos menores na escala evolutiva ou devemos apoiar essas praticas???
    Quem cala consente.

    Veja o que os grandes Mestres falaram sobre os animais.

    Em meu pensamento, a vida de um cordeiro não é menos importante que a vida de um ser humano
    “Há muito de verdade no dito de que o homem se torna aquilo que come. Quanto mais grosseiro o alimento tanto mais grosseiro o corpo
    “A vivissecção é o pior de todos os piores crimes que o homem está atualmente cometendo contra Deus e sua bela criação.”
    “A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados.” – Mahatma Gandhi

    “A carne é o alimento de certos animais. Todavia, nem todos, pois os cavalos, os bois e os elefantes se alimentam de ervas. Só os que têm índole bravia e feroz, os tigres, os leões etc. podem saciar-se em sangue. Que horror é engordar um corpo com outro corpo, viver da morte de seres vivos.”
    “Enquanto o homem continuar a ser destruidor impiedoso dos seres animados dos planos inferiores, não conhecerá a saúde nem a paz. Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão uns aos outros. Aquele que semeia a morte e o sofrimento não pode colher a alegria e o amor.”
    “Os animais dividem conosco o privilégio de terem uma alma.” – Pitágoras

    “O homem implora a misericórdia de Deus mas não tem piedade dos animais, para os quais ele é um deus. Os animais que sacrificais já vos deram o doce tributo de seu leite, a maciez de sua lã e depositaram confiança nas mãos criminosas que os degolam. Ninguém purifica seu espírito com sangue. Na inocente cabeça do animal não é possível colocar o peso de um fio de cabelo das maldades e erros pelos quais cada um terá de responder.” –
    “Um homem só é nobre quando consegue sentir piedade por todas as criaturas”.
    “Todos os seres vivos tremem diante da violência. Todos temem a morte, todos amam a vida. Projete você mesmo em todas as criaturas. Então, a quem você poderá ferir? Que mal você poderá fazer?” – Buda

    7)Eu acho um absurdo animais serem torturados, mutilados vivos e sacrificados nesses rituais de magia, J Herculano Pires no seu Livro Mediunidade fala que o movimento Espírita deveria se LEVANTAR contra a matança de animais inocentes nesses centros, os animais são nossos irmãos menores na escala evolutiva, devemos respeitar e amar os animais.
    Devemos defender quem, os animais que são nossos irmãos menores na escala evolutiva ou essas praticas de torturar, mutilar e matar pobres animais???
    Os Espíritos de Luz jamais vão pedir despachos, velas, charutos, cachaça e sacrifícios de animais, somente espíritos desencarnados apegados a matéria e aos vícios terrenos é que pedem essas coisas.
    Os animais sofrem, são torturados, são mutilados vivos, são perfurados vivos, outros são enterrados vivos, e devemos ficar calados??
    Os animais merecem isso??
    Os sacrifícios de animais tem um objetivo que é o Vampirismo.
    O sangue esta repleto de fluidos vitais e os espíritos obsessores vão VAMPIRIZAR tais fluidos, e por isso, que se processa essas praticas nesses ambientes.
    Se os animais pudessem falar, eles iriam implorar por misericórdia e salvação, eles iriam gritar pedindo socorro, socorro, socorro
    E as pessoas nada fazem, ficam na omissão criminosa, dever animais serem torturados, mutilados e mortos, para agradar entidades ociosas e viciosas do plano astral.
    Somente espíritos maldosos, ignorantes e cruéis podem pedir isso.
    Vou deixar uma pergunta, os animais merecem isso?????

    O Mestre Allan Kardec fala em seus luminosos Livros que o Objetivo principal do Espiritismo é a melhoria Moral das pessoas, perguntamos, qual melhoria moral uma pessoa vai ter usando charutos, cachaça, velas, amuletos, despachos e sacrificando pobres animais???
    A nossa melhoria Moral esta na pratica sincera do Bem e das Virtudes, ser bom, ser correto, ser honesto, ser trabalhador, ser simples e humilde, se cordial, ser educado, ajudar os necessitados, respeitar e amar os Animais, combater os vícios, combater os maus desejos, combater as imoralidades, procurar manter uma Conduta moral reta no Cristo, isso é melhoria Moral.
    Ficar sacrificando animais para agradar espíritos inferiores, perturbadores e obsessores do plano astral é um absurdo, um verdadeiro crime.
    Vejamos essa pergunta, se você fosse um animal você gostaria de ser torturado, mutilado e sacrificado nesses centros de macumbas???
    Gostaria de uma resposta.
    Outra pergunta, os Espiritos Elevados e Superiores e os Bons Espiritos vão pedir velas, despachos, cigarros, charutos, cachaça, sacrifícios de animais???
    Gostaria de uma resposta.
    Temos que raciocinar nessas questões.
    J Herculano Pires no seu Livro Mediunidade fala que o movimento Espirita deveria se LEVANTAR contra a matança de animais inocentes nesses centros.
    Perguntamos, Herculano Pires esta certo ou errado nessa questão.
    Gostaria de uma resposta

    Vocês já pensaram no sofrimento dos animais nesses sacrifícios, muitos animais são torturados, mutilados vivos, perfurados vivos outros são enterrados vivos, vocês acham isso certo???
    Gostaria de uma resposta.
    A maioria dos espíritas e espiritualistas fingem que essas coisas não exitem.
    Perguntamos, o que vai atrair os Espiritos Elevados e Superiores, velas, amuletos, talismã, despachos, charutos, cachaça, imagens de santos, sacrifícios de animais.
    Ou são os pensamentos elevados, positivos e nobres, a pratica sincera do bem, da caridade, a prece sincera, as boas atitudes, a fraternidade, a honestidade.
    Gostaria de uma resposta.

  2. Espiritismo e Obsessão.

    1) O Espiritismo bem estudado nas Obras de Allan Kardec, Leon Denis, Herculano Pires e Luiz de Mattos, explana que tudo é atração, sintonia ou afinidade no mundo espiritual.
    Cada pessoa conforme seus pensamentos, sentimentos e atitudes, vai estabelecer sintonia vibratória com os espíritos desencarnados.
    Uma pessoa com maus pensamentos, maus desejos, vícios, sentimentos impuros de ódio, raiva, rancor, medo, fanatismo, egoísmo, falsidade, desonestidade, esta em sintonia mental com espíritos inferiores, perturbadores e obsessores do plano astral.
    Tudo reside no padrão moral dos nossos pensamentos, sentimentos e atitudes.
    Uma pessoa que procura elevar seus pensamentos, cultivar a prece sincera, cultivar boas intenções, procura combater de forma gradativa seus vícios e maus hábitos, ela consegue elevar seu campo vibratório e dessa forma consegue se sintonizar com os espíritos de luz, atraindo para si uma assistência espiritual benéfica.
    O mal tem sintonia com o mal.
    O Bem tem sintonia com o Bem.
    Tudo é Sintonia dos pensamentos.
    Essa é a primeira coisa que devemos entender nessas questões.

    2) Os espíritos obsessores não possuem nenhum poder sobre as pessoas de bem, as pessoas que possuem pensamentos elevados e sentimentos nobres e procuram seguir o caminho do Bem, da caridade e da elevação moral, ficam imunes as influencias dos maus espíritos.
    O Bem é mais forte que o mal.
    A Luz é a mais forte que a escuridão.
    O Mestre Allan Kardec fala em seus livros, que são as nossas imperfeições morais que atraem os maus espíritos, para afastar os espíritos inferiores e obsessores temos que procurar combater as nossas imperfeições morais, sem isso tudo mais é inútil.
    O Espiritismo Verdadeiro explana que nenhum objeto material tem ação sobre os espíritos, o uso de amuletos, talismã, velas, imagens de santos, medalhas mágicas, terços, palavras sacramentais, sinais cabalísticos, exorcismos, são tudo baboseiras criadas pelas superstições místicas das pessoas.
    É no Pensamento e nos sentimentos que reside o valor real.
    Nenhum trabalho de macumba, bruxaria ou magia negra pode afetar uma pessoa de conduta moral elevada com pensamentos positivos, a prece sincera, as boas ações, os sentimentos de amor e caridade, a luta contra os maus desejos e vícios, vai formar em torno da pessoa um campo vibratório elevado que vai repelir as vibrações pesadas e negativas dos maus espíritos.
    Vibrações positivas repelem vibrações negativas.

    3) Os espíritos de Luz ou espíritos elevados não precisam de coisas matérias, eles estão com seus pensamentos e sentimentos moralmente depurados, portanto, quem pede essas coisas matérias como, charutos, cigarros, velas, cachaça, despachos, sacrifícios de inocentes animais, são espíritos desencarnados ainda apegados a matéria e aos vícios e desejos terrenos, espíritos moralmente atrasados e muitos desses espíritos podem ser maldosos e obsessores, cuidado!
    Vejamos as palavras de Chico Xavier sobre essa questão.
    Para espíritos de luz, ou seja, espíritos superiores e puros, não existem necessidades materiais. Os espíritos que trabalham nos terreiros, em sua grande maioria, são aqueles que ainda guardam grandes necessidades das sensações terrenas e por isso usam os médiuns para absorvelas; quando não têm, fazem-no através dos despachos. São, na classificação da Doutrina Espírita, chamados de espíritos mais simples. É claro que existem aqueles outros que, mesmo tendo condição moral mais elevada,
    manifestam-se nos terreiros de Umbanda, guardando os procedimentos ali adotados.

    Chico Xavier fala, que os Espiritos de Luz não possuem necessidades matérias.
    Os espíritos elevados e os bons espíritos jamais vão pedir coisas matérias como, charutos, cachaça, despachos e sacrifícios de pobres animais, somente espíritos apegados a matéria é que pede tais absurdos.
    Os animais merecem o nosso respeito.
    Para atrair a assistência luminosa dos espíritos elevados temos que criar condições morais positivas, cultivar pensamentos elevados e nobres, cultivar a prece sincera, cultivar o amor e a caridade, cultivar a honestidade, cultivar a humildade, cultivar o respeito pelos animais, temos que combater as nossas imperfeições morais, combater os vícios, combater os maus desejos e maus hábitos, dessa forma a pessoa entra em sintonia com os Espiritos Superiores e passa a ter as orientações desses espíritos luminosos.
    O Bem vai atrair o Bem.
    A Virtude vai atrair a virtude.
    O mal vai atrair o mal.
    O vicio vai atrair o vicio.
    Tudo é uma questão de sintonia ou afinidade moral.
    Nesses ambientes que predomina o uso de charutos, cigarros, cachaça, despachos e sacrifícios de pobres animais, o campo vibratório é baixo e denso, as pessoas que estão nesses ambientes só tratam de assuntos matérias vulgares, assuntos sem elevação moral, assuntos como volta da pessoa amada, melhoria nos negócios, ter um bom emprego, ganhar dinheiro, sorte com as mulheres e os trabalhos para prejudicar os desafetos.
    Tais assuntos vão atrair pela sintonia vibratória dos pensamentos os espíritos desencarnados que estão apegados a matéria, espíritos moralmente atrasados e muitos desses espíritos podem ser maldosos, maliciosos, astutos, debochados, embusteiros e obsessores.
    Os espíritos elevados só tratam de assuntos nobres e importantes para nossa melhoria Moral e espiritual, eles pregam o Amor, a caridade, a honestidade, a educação, a disciplina, a elevação dos pensamentos, o respeito pelos animais, o desinteresse, os espíritos elevados são virtuosos em seus ensinamentos.
    Os espíritos elevados pregam as Virtudes e a elevação Moral.

    Vejamos as palavras do Mestre Allan Kardec.
    4) Distinguir os bons dos maus Espíritos é extremamente fácil. A linguagem dos Espíritos superiores é constantemente digna, nobre, repleta da mais alta moralidade, livre de toda paixão inferior; seus conselhos exaltam a sabedoria mais pura e sempre têm por objetivo nosso aperfeiçoamento e o bem da humanidade. A linguagem dos Espíritos inferiores, ao contrário, é inconseqüente, muitas vezes banal e até mesmo grosseira; se por vezes dizem coisas boas e verdadeiras, dizem na maioria das vezes coisas falsas e absurdas por malícia ou por ignorância. Zombam da credulidade e se divertem à custa daqueles que os interrogam ao incentivar a vaidade, alimentando seus desejos com falsas esperanças. Em resumo, as comunicações sérias, no verdadeiro sentido da palavra, apenas acontecem nos centros sérios, cujos membros estão unidos por uma íntima comunhão de pensamentos, visando ao bem.

    Os Espíritos exercem sobre o mundo moral e o mundo físico uma ação incessante. Eles agem sobre a matéria e o pensamento e constituem uma das forças da natureza, causa determinante de uma multidão de fenômenos até agora inexplicável ou mal explicada e que apenas encontram esclarecimento racional no Espiritismo.
    As relações dos Espíritos com os homens são constantes. Os bons Espíritos nos atraem e estimulam para o bem, sustentando-nos nas provações da vida e ajudando-nos a suportá-las com coragem e resignação. Os maus nos sugestionam para o mal; é um prazer para eles nos ver fracassar e nos assemelharmos a eles.

    A linguagem dos Espíritos superiores é sempre digna, elevada, nobre, sem qualquer mistura de trivialidade. Eles dizem tudo com simplicidade e modéstia, nunca se vangloriam, não fazem jamais exibição do seu saber nem de sua posição entre os demais. A linguagem dos Espíritos inferiores ou vulgares tem sempre algum reflexo das paixões humanas. Toda expressão que revele baixeza, auto-suficiência, arrogância, fanfarronice, mordacidade é sinal característico de inferioridade. E de mistificação, se o Espírito se apresenta com um nome respeitável e venerado.
    Não devemos julgar os Espíritos pelo aspecto formal e a correção do seu estilo, mas sondar-lhes o íntimo, analisar suas palavras, pesá-las friamente, maduramente e sem prevenção. Toda falta de lógica, de razão e de prudência não pode deixar dúvida quanto à sua origem, qualquer que seja o nome de que o Espírito se enfeite.
    Allan Kardec.

    5) Os Espíritos de Luz não possuem necessidades matérias, eles estão moralmente depurados, seus pensamentos e sentimentos são sempre elevados, puros, nobres e sua cultura é ampla e profunda, eles tem por objetivo ajudar as pessoas a se melhorarem moralmente e espiritualmente, sua Linguagem é sempre digna, elevada, lógica e seus ensinamentos são Moralizadores, tentando iluminar as pessoas.
    Os espíritos de Luz não necessitam de coisas matérias, os espíritos que pedem charutos, cachaça, cigarros, despachos e sacrifícios de pobres animais, são espíritos moralmente atrasados, apegados a matéria e aos vícios e desejos terrenos.
    E muito desses espíritos podem ser maldosos, maliciosos, astutos, embusteiros e obsessores, cuidado com a conversa mole deles, eles falam macio.
    Não podemos aceitar nada que venha dos espíritos desencarnados sem rigoroso exame, tudo que venha do plano espiritual através de mensagens e comunicações, tem que passar pelo Crivo severo da Razão e da lógica, qualquer ofensa a razão, a lógica e a moral elevada, deve ser rejeitado.
    Os maus espíritos não suportam o exame racional das suas mensagens.
    Numa reunião mediúnica devemos sempre analisar com muito cuidado a Linguagem e os ensinamentos dado pelos espíritos desencarnados, qualquer expressão grosseira, vulgar, agressiva, ou ensinamentos sem elevação racional e moral, denuncia a presença de espíritos inferiores e atrasados.
    Um espírito desencarnado se manifesta numa reunião mediúnica usando uma Linguagem pesada, vulgar, chula, trivial, sem lógica, sem uma moral sã, e eles pedem coisas matérias, como, cachaça, cigarros, charutos, despachos e sacrifícios de pobres animais, vamos concluir, que são espíritos ainda presos as paixões e vícios terrenos, sua forma de pensar e sentir ainda esta materializada.
    Portanto, vamos analisar com muito cuidado e critério as mensagens e comunicações dos espíritos desencarnados.
    Não devemos esquecer, que os espíritos desencarnados são seres humanos sem seus corpos físicos e que a morte ou desencarnação não modifica o espírito no campo moral e intelectual, o mundo espiritual é o reflexo do mundo corporal.

    6) Para afastar os maus espíritos temos que cultivar pensamentos elevados e positivos e ter uma Conduta Moral reta no Bem e nas Virtudes.
    Na realidade a proteção espiritual quem faz é a própria pessoa conforme seus pensamentos e conduta moral, os espíritos inferiores, perturbadores e obsessores do plano astral, não conseguem entrar em sintonia com as pessoas dignas, corretas, honestas e caridosas.
    O Bem repele o mal.
    A Luz repele as sombras.
    Não havendo sintonia os maus espíritos se afastam.
    Tudo é sintonia vibratória no mundo espiritual, os iguais se atraem e os diferentes se repelem.
    Uma pessoa com pensamentos elevados e firmes no Bem e de conduta moral reta, repele naturalmente e facilmente os espíritos inferiores e obsessores.
    Os espíritos inferiores, perturbadores, maldosos, vingativos e obsessores, possuem um perispirito denso, turvo, grosseiro, eles estão envolvidos em fluidos impuros, na crosta terrena tem milhões de espíritos desencarnados em estado de apego as coisas matérias e aos vícios e desejos terrenos, eles exercem uma forte influencia negativa sobre as pessoas que são invigilantes com seus pensamentos e conduta moral.
    Temos que tomar muito cuidado com nossos pensamentos, por que, esses espíritos inferiores que estão na crosta terrena procuram nos influenciar é pelos pensamentos, pela sintonia vibratória.
    Como esses espíritos desencarnados não possuem mais seus corpos físicos para saciarem seus vícios e desejos, eles vão procurar os encarnados que possuem os mesmos vícios e desejos.
    É o encosto, esses espíritos inferiores vão encostar o seu perispirito no perispirito do encarnado e vão sentir as mesmas coisas que essa pessoa sente, se a pessoa bebe e fuma, os desencarnados viciados vão sugar os fluidos da nicotina e do álcool, é o vampirismo psíquico.
    Os desencarnados viciados em Sexo, vão encostar o seu perispirito no perispirito do encarnado que esta praticando sexo sem elevação moral, e o desencarnado vai sentir os mesmos prazeres de uma transa.
    É por isso que devemos ter uma vida terrena digna, correta, honesta, com elevação moral, para podermos repelir esses espíritos inferiores do plano astral.
    O Bem repele o mal.

    Wilson Moreno

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s