Os Portais Misteriosos do Tempo

Neste nosso pequeno e ainda tão desconhecido planeta, tudo parece estar bafejado pelo mistério e pela magia!

portal_dimensaoEra 28 de agosto de 1915, céu extremamente claro, dia banhado num sol radiante, exceto por algumas nuvens que se espraiavam na altura de uma elevação estrategicamente denominada “Morro 60”. Próximo dali, todo um regimento do Exército Britânico, precisamente o First Fourth Norfolk, estava em campanha militar contra as forças turcas, em Gallipoli, nas proximidades de Dardanellos.

O First Norfolk recebera ordens diretas para marchar através do Morro 60, de modo a estabelecer um ponto avançado para o embate com as forças inimigas, enquanto na retaguarda ficavam outras unidades militares. O topo daquele morro estava coberto por uma grande nuvem extremamente densa, intensamente brilhante e, um a um, os cerca de 400 homens daquele regimento nela penetraram destemidamente. Porém, nenhum deles jamais saiu do outro lado!

O desaparecimento do regimento britânico diante de centenas de testemunhas, causou uma enorme celeuma e ao final da guerra o Governo Inglês exigiu da Turquia a imediata devolução dos seus soldados, oficialmente dados como desaparecidos. A resposta foi, porém, lacônica: a Turquia jamais tomara conhecimento da existência desse regimento, muito menos o capturara!

E esse desaparecimento misterioso não foi todavia o único!

Durante a guerra sino-japonesa, em 10 de novembro de 1939, todo um regimento chinês sob o comando do coronel Li Fu Sien e composto por três mil homens, desapareceu inteiramente quando estava acampado próximo a uma frente de combate. Quando seus equipamentos de rádio deixaram de transmitir, as equipes de busca logo acionadas encontraram tudo em perfeita ordem no local: as armas e também os restos das fogueiras de acampamento. Os japoneses negaram ter capturado aqueles homens, aliás nunca tiveram contato com eles. Foi apurado também que não desertaram.

E a surpreendente conclusão a que chegaram os peritos militares chineses é que três milhares de homens, sem mais nem menos, simplesmente sumiram em pleno chão, ou talvez no ar!

E o quê podemos dizer a respeito de TODA uma aldeia esquimó denominada Angikuni cujas centenas de habitantes igualmente desapareceram sem deixar o mínimo vestígio? O estranho fato se deu em 1930, ao norte do Canadá, quando tudo foi encontrado nos seus lugares: alimentos, roupas e armas. Todos os homens, mulheres e crianças, porém, simplesmente se evaporaram – somente ficando amarrados e sendo encontrados, quase mortos de fome, sete cães!

Durante a Segunda Guerra Mundial, um balão de observação militar do próprio Exército dos EUA efetuava missão de busca a submarinos alemães. Dentro dele os três tripulantes que igualmente jamais foram encontrados quando o balão, que subitamente passara a apresentar uma trajetória errática, foi resgatado. Poderia ter se tratado de uma acidente, mas…

Observadores de terra não tiraram os olhos daquele balão quando ele se encontrava no ar! Para onde exatamente teriam sido transportados aqueles soldados?

No Brasil, há apenas alguns poucos anos atrás, um casal em férias atravessava as rasas águas do desaguadouro do rio Martim de Sá, na praia da Caraguatatuba, Estado de São Paulo. Repentinamente, e para o total espanto da noiva do rapaz, ele simplesmente se evaporava no ar diante dos seus atônitos olhos.

Como se tivesse cruzado uma porta invisível para o desconhecido!

Extensas buscas realizadas por autoridades policias e também pela montadora multinacional de automóveis, da qual ele era funcionário, nada encontraram. Supondo tratar-se de areias movediças ou que talvez um buraco que o tivesse tragado, até mesmo estudos geológicos do local foram procedidos, mas nada se apurou.

Um outro caso bastante notável ocorreu em 1924 com um avião militar britânico, em vôo de reconhecimento sobre o deserto da Mesopotâmia. Após ser dado como desaparecido, as equipes de busca encontraram o aparelho pousado nas areias em perfeito estado e com bastante combustível. Perto dele, as pegadas do tenente Dat e do co-piloto Steward mostravam que ambos caminharam juntos até um certo ponto, distante cerca de 40 metros do aparelho. Sem maiores explicações, ambas as marcas subitamente interrompiam-se na areia escaldante. E até hoje não se soube mais do paradeiro daqueles dois aviadores!

Em 1909, no País de Gales, um menino de 11 anos chamado Oliver ia ao poço da sua residência buscar água. Era noite e logo após ter saído de casa gritara por socorro. Quando os seus aflitos pais logo acorreram munidos de uma lanterna nada viram, seja no quintal ou no céu, somente escutando aquele que foi o último grito do menino que dizia: “Socorro, socorro, estão me levando!”. A polícia local ficou intrigada pelo fato de que as pegadas da criança iam da porta até a metade do caminho que levava ao poço e simplesmente sumiram bruscamente!

Em várias partes do mundo existem os estranhos relatos de casos semelhantes. Crianças somem diante dos olhos dos pais e até mesmo certas pessoas são capturadas por estranhos “túneis do tempo”, dos quais alguns já tiveram a sorte, ou quem sabe o raro privilégio, de voltar:

Um casal de brasileiros, por exemplo, durante o ano de 1994, quando em viagem de automóvel do Estado de São Paulo para Minas Gerais, através de um percurso que demandaria 16 horas, viu-se durante a noite e em plena estrada, isso quando já tinha cumprido a metade do caminho, capturado por aquilo que ambos, marido e mulher, descreveram com “um túnel muito escuro com luzes estranhas à frente”. Ao saírem do outro lado, estavam a cerca de 45 minutos do seu ponto de destino, ou seja, tinham inexplicavelmente economizado nada menos que sete horas e quinze minutos de viagem!

Já em 1968, na Argentina, o dr. Gerardo Vidal, a sua esposa e também o carro no qual trafegavam pelos arredores da cidade de Baía Blanca, subitamente foram envolvidos em um estranho nevoeiro. Ao recuperarem os sentidos, a lataria do automóvel estava totalmente danificada, a pintura violentamente arrancada, ou queimada, como se o carro tivesse atravessado um túnel de material altamente abrasivo e desgastante. Os seus relógios pararam, e na periferia de uma estrada diferente onde surgiram repentinamente estacionados viram um placa que os deixou gelados: estavam no México! Surpresos, procuraram ajuda no consulado da Argentina naquele país, quando também souberam que tinham se passado cerca de 48 horas depois da misteriosa entrada no tal nevoeiro, vindo sabe-se lá de onde!

O inverso também parece ser verdadeiro. Um caso estranhíssimo ocorreu na França, precisamente em 10 de agosto de 1901. Duas professoras inglesas, em visita àquele país, passeavam no parque de Versalhes, onde em tempos muito recuados a aristocracia francesa reinava no suntuoso palácio do mesmo nome.

Um súbito nevoeiro esbranquiçado surgiu em meio às delicadas flores do parque. Dele saiu uma mulher ricamente vestida, em trajes muito antigos, que ficou aturdida por breves instantes ao olhar ao seu redor e constatar que estava fora da sua época. E não se tratava de uma visão, ou mesmo aquilo que se conhece como fantasma. A mulher, sem dúvida alguma nobre, era absolutamente real e física. Tanto que deu seu nome e falou em francês, pouco antes de retornar ao seu tempo no mesmo nevoeiro: Quem são vocês? Sou Maria Antonieta!

Uma porta mágica do tempo e do espaço subitamente se abriu do século XVIII para o XX. Ou quem sabe foi exatamente o contrário?!

Por sua vez, estranhas criaturas têm sido vistas no nosso mundo, totalmente fora da sua época, ou quem sabe do seu tempo. Em agosto de 1887, em Banjos, Espanha, surgiram de dentro de uma caverna duas crianças dotadas de peles verdes! O menino e a menina vestiam roupas estranhas e desconhecidas, além de falarem uma língua estranha. Autoridades vieram de Barcelona e não conseguiram identificar a origem daquelas criaturas. Tinham olhos amendoados e traços negróides e não comiam os nosso alimentos, a não ser certos grãos. Em pouco tempo o menino veio a falecer, muito debilitado.

A menina, por sua vez, conseguiu sobreviver por mais algum tempo (exatamente cinco anos) e à medida em que recebia a luz do sol, sua pele tornava-se de uma tonalidade ainda verde, porém mais clara. Adotada pela família do juiz Ricardo de Calno, aos poucos aprendeu alguma coisa do espanhol e as suas declarações foram simplesmente impressionantes: ela e seu irmão vieram de um país sem sol onde reinava um crepúsculo permanente, separado por um grande rio de outro país luminoso, este por sua vez iluminado pela luz solar. Subitamente foram envolvidas em um estranho turbilhão que os arrebatara e depositara no interior daquela caverna situada no nosso mundo!

É de fato um grande mistério mas o fenômeno é real. Certos sons, ou vibrações de ar, parecem acompanhar a abertura daquilo que os cientistas de vanguarda e pesquisadores já chamam de ”portas induzidas”. Aparentemente, certos lugares parecem ter a propriedade de desencadear tais fenômenos mais especialmente do que outros. Na verdade trata-se de um “efeito túnel” que parece afetar dobras dimensionais e alterar os próprios conceitos e padrões conhecidos do tempo.

Os turbilhões e os nevoeiros que freqüentemente acompanham tal fenômeno, brancos ou por vezes esverdeados, parecem ser uma espécie de condensação temporária de energias, as quais teriam alguma relação com as propriedades atômicas da natureza, ou quem sabe do próprio desenrolar da sucessão de eventos nos meandros do tempo e do próprio espaço.

Esses lugares apresentam por características notáveis o fato de conter perturbações no magnetismo e na gravitação, bem como serem pontos propícios às visões, notadamente dos OVNI.

Curiosamente estão demarcados por sinais desconhecidos, ou também e muito freqüentemente por monumentos arqueológicos inexplicáveis do passado – como se os antigos já os conhecessem e sinalizassem as zonas tabus a serem devidamente evitadas!

Por outro lado, acreditamos que um dos mais intrigantes fenômenos do campo da Parapsicologia esteja intimamente relacionado a esses misteriosos vórtices temporais que surgem de quando em vez, e repentinamente, em lugares esparsos do nosso mundo representando pois uma faceta verdadeiramente sinistra e assustadora. Estamos falando daquilo que se conhece como “combustão espontânea”, ou ainda como é conhecido nos meios parapsicológicos CHE (Combustão Humana Espontânea), quando pessoas são consumidas em questões de segundos por uma espécie de fogo infernal que parece ter vindo do nada e mata!

Em 1958, precisamente em Chelmsford, Inglaterra, uma mulher literalmente ardeu em meio a brilhantes chamas azuis, dela restando somente um punhado de cinzas. Sabemos que é necessária uma temperatura de 2500 graus e cerca de três horas para que um corpo humano seja cremado. Mas essas espécie de fogo maldito faz muito mais do que isso em apenas poucos segundos e, como detalhe mais interessante, não queima as coisas ao seu redor! A Medicina-Legal já se deparou em diversas partes do mundo com tal tipo inusitado de fenômeno, o qual não tem a menor explicação lógica. Aliás, os relatórios médicos dizem que os profissionais daquela especialidade nunca viram coisas semelhantes em todas as suas vidas. Principalmente pelo fato de o mistério apresentar certas peculiaridades bem mais assustadoras:

Na Flórida, EUA, uma mulher foi igualmente vítima do tal fogo que vem do nada e aniquila, isso dentro da sua própria casa. Seu crânio, ao contrário do que acontece com os corpos carbonizados quando incham e explodem, ficou reduzido ao tamanho de uma simples bola de tênis! Fora alguns pequenos pedaços de outros ossos, dela somente restaram algumas cinzas.

Sem consumir a casa, o fenômeno limitou-se apenas a destruir a mulher. O doutor Wilton Krogman, da Escola de Medicina da Pensilvânia, declarou ter sido a coisa mais estupefaciente que jamais vira, pois não podia imaginar uma cremação tão completa que não danificasse o restante da residência. E além disso nunca vira um crânio humano ser reduzido daquela forma através de um calor intenso!

Tal tipo de fenômeno parece varrer toda a face da Terra, pois em 27 de dezembro de1958, e no mesmo dia, ocorreram três casos idênticos em diferentes países do mundo. Um deles em pleno navio Ulrich que singrava a costa da Irlanda, quando o timoneiro virou um montículo de cinzas, sem que nada tenha sido queimado ao seu redor. Na Inglaterra um caminhão desgovernado caiu em uma ribanceira, justamente pelo fato de o seu motorista, George Turner, ter sido totalmente consumido, sem que houvesse quaisquer espécies de vestígios de incêndio na cabine do pesado veículo. E no terceiro caso, dessa vez na Holanda, um motorista de um Volkswagen, Willaim Bruick, foi encontrado totalmente incinerado no interior do veículo, também sem quaisquer indícios de fogo ao redor do corpo!

E talvez a manifestação mais apavorante deste insólito fenômeno tenha sido aquilo que aconteceu em 1980, em Gwent, Inglaterra, quando Henry Thomas, 73 anos de idade, se tornou mais uma das suas vítimas. Logo após o incidente, autoridades policiais chamadas por vizinhos entraram na casa cujo interior tinha um estranho calor que se irradiava por toda parte. O ambiente em si mostrava qualquer coisa de estranho e sobrenatural: era incrivelmente roxo, com uma coloração mais puxada para o alaranjado. A mobília estava em perfeito estado e somente um punhado de cinzas restara do corpo daquele homem. E o mais horripilante de tudo: uma pegajosa e repugnante película de carne humana vaporizada cobria todo o recinto onde se encontravam as tais cinzas!

Parece que alguma coisa por vezes dá errado quando da manifestação desses vórtices de energia desconhecida no nosso mundo. Seriam portas defeituosas, ou quem sabe instáveis, cuja violentíssima potência e intensidade magnética as fariam se fechar abruptamente, consumindo tudo aquilo que estivesse no seu caminho? Lembremos o caso acima mencionado da Argentina quando o automóvel do casal Vidal ficou com a sua pintura totalmente crestada quando atravessou o tal túnel do tempo, indo parar repentinamente em um outro país.

Em fevereiro de 1948, unidades e resgate partiram em socorro aos estranhos pedidos de SOS que partiram do navio holandês SS Ourang Medan, quando atravessava o Golfo de Bengala. Ao se depararem com o imenso navio à deriva, trataram de abordá-lo. E as cenas que os marinheiros viram eram simplesmente de arrepiar: cadáveres por todos os lados, no convés, na ponte de comando e até na sala de máquinas. Ninguém sobrevivera! Todos os corpos estavam estranhamente deitados, voltados para cima, com os braços levantados e intactos, sem quaisquer ferimentos ou vestígios de lutas. Quando se preparavam para rebocá-lo, porém, as equipes de resgate tiveram que abandonar o Ourang Medan às pressas, pois uma estranho e insuportável calor começava a se produzir. Já em segurança, todos viram estupefatos uma misterioso tipo de fogo começar a consumir o navio. A imensa embarcação literalmente fundia-se em questão de poucos segundos, o que veio a ocasionar a explosão do combustível e a sua imediata submersão nas águas do mar!

Mas a pergunta que inevitavelmente surge é: seriam essas portas, ou portais, fenômenos estritamente naturais?
O termo “portas induzidas” é no entanto bem explícito.

Alguns pesquisadores julgam se tratar daquilo que está contido no estrito senso da palavra, ou seja, alguém, ou alguma coisa, estaria propositadamente produzindo esses “portais” no nosso mundo, talvez para capturar pessoas! Isso no entanto requereria uma fantástica máquina capaz de alterar estruturas atômicas e inverter o tempo. Coisas somente disponíveis por aqueles que tripulam, ou manipulam, os OVNI!

O que parece ter uma certa dose de verdade, pois em 1964 uma belonave da Marinha Americana foi despachada para interceptar um iate que estava à deriva. Já no contato visual com aquela embarcação, todos os marinheiros viram quando um objeto discóide pairava sobre o barco, coberto por uma estranha névoa verde. Quando o abordaram, tudo estava nos seus lugares; nada faltava, nem mesmo os botes salva-vidas. Exceto aqueles que os tripulavam, dos quais até hoje não se tem notícias.

Mas, OVNI à parte, o tempo e o espaço parecem ter também os seus mistérios insondáveis. Durante a Primeira Guerra Mundial, destacou-se um grande ás da aviação alemã, Manfred Von Richtofen – conhecido como “O Barão Vermelho”. Seu avião, um fokker totalmente pintado naquela cor (daí o seu cognome), ostentava o emblema de um círculo voador, que identificava o seu famoso e temido piloto, responsável pela destruição de muitos aviões aliados. A sorte de Von Richtofen acabou , porém, quando um certo capitão Brown teve mais perícia do que ele e o abateu sobre a França. Em 1925 seus restos mortais foram repatriados para a Alemanha, onde o falecido piloto recebeu as mais altas honrarias militares. Muitos anos depois, precisamente em 1940, um avião militar pilotado pelo tenente Grayson efetuava patrulha noturna sobre Dover quando avistou um avião antigo e desconhecido que se situava distante, bem na sua lateral. Partindo em manobra de interceptação, o tenente Grayson chegou bem perto e percebeu que a estranha aeronave não fazia qualquer ruído. A luz do luar, deixou-o ainda mais assombrado, ao notar, pouco antes de o estranho espectro sumir no ar, que o mesmo era todo pintado de vermelho, ostentava a cruz de ferro da Alemanha Imperial e também um círculo voador na sua fuselagem!

Uma estranha abertura no fragmento do espaço-tempo de 1940 trouxera de volta, ainda que por breves instantes, o avião de caça do famoso Barão Vermelho!

E ao que tudo indica, parece que não somente os tripulantes dos OVNI saberiam manipular tais correntes de tempo. Um outro espantoso caso ocorreu precisamente no final da Segunda Guerra Mundial, logo após a derrocada da Alemanha nazista. Sabe-se que Hitler e os seus seguidores mantinham de fato estranhas ligações com uns tais “superiores desconhecidos”, os quais lhes teriam entregues segredos de uma tecnologia militar muito à frente daquela época – responsável direta e além de tudo pela utilização dos mísseis, das barreiras eletromagnéticas de proteção antiaérea, dos aviões supersônicos e até das bombas nucleares que o Terceiro Reich estava secretamente desenvolvendo!

Já que o nazismo era uma sociedade secreta pervertida, certos rituais mágicos de iniciação, realizados em centros de força do planeta Terra, tais como o Egito e o Tibet, sempre orientados e sob a égide dos tais “superiores”, guarneciam e ampliavam através de uma força sinistra o poderio da ordem-negra. Contudo, após a penosa e difícil derrota da Alemanha, as forças aliadas começaram a fazer os prisioneiros, capturando os cientistas e militares remanescentes do Terceiro Reich. Causou surpresa, contudo, a captura de autênticos monges tibetanos na destruída Berlim.

Vestindo túnicas e barretes vermelhos (a cor da magia negra), o estranho grupo recusava-se a falar e foi trancafiado em uma cela de segurança máxima, sob a vista constante de vários guardas fortemente armados. Aqueles estranhos homens assustavam as sentinelas pois rezavam estranhas orações em uma língua desconhecida, de modo que pareciam mesmo ser deste mundo.

Como de fato talvez podiam não ser pois, sem que nada tivesse sido tocado, desapareceram em pleno ar, de dentro de uma cela fortemente gradeada e guardada – como se tivessem viajado no próprio tempo e através do espaço para algures!

O Navio Fantasma do Holandês Errante é outro espectro temporal que costuma assombrar os navegantes dos sete mares.

Essa imensa caravela dos tempos passados, precisamente originária do Século XVII, e que foi comandada por um certo capitão Van Der Straten, misteriosamente desaparecida com toda a sua tripulação em meio a uma tempestade no Cabo Horn, costuma surgir por breves instantes nas rotas até mesmo dos navios militares e dos grandes transatlânticos modernos (sem todavia ser assinalado nas telas de radar), os quais costumam registrá-la nos diários de bordo como “miragem”. Tal navio de fato existiu e as lendas dizem que seu capitão (que seria adepto das práticas de magia negra) fora castigado por uma maldição divina, condenado assim a vagar sem rumo por toda a eternidade, juntamente com a toda a sua tripulação! Mas se é que é mesmo uma miragem, aqueles que o viram, contudo, dizem parecer bem real: são perfeitamente visíveis os contornos do grande barco-espectro na sua fantasmagórica escuridão, somente envolvida por uma sinistra espécie de aura avermelhada, muito assustadora. E avista-se ainda o vento enfunando as velas – porém sem produzir qualquer som ou ruído, a não ser…… Alguns apavorantes gritos de socorro emanados de alguns estranhos e surrealistas espectros que desfilam pelos seu convés, assim como foi presenciado pelos tripulantes do HMS Inconstant da própria Marinha Real Britânica e mais recentemente por alguns tripulantes de barcos pesqueiros na Nova Zelândia!

E o que dizer dos aviões que literalmente somem no ar, não somente na famigerada área do Triângulo das Bermudas, como também em todos os países do mundo? Aqui mesmo no Brasil, precisamente na Cidade do Rio de Janeiro e nas proximidades da famosa Pedra da Gávea, um dos maiores mistérios do ar se produziu no dia 13 de maio de 1980:

Um avião Islander, prefixo PT-KHK, fretado pelo Projeto RADAM (órgão oficial do Governo Brasileiro) levantou vôo do Aeroporto Santos Dumont, em direção à zona oeste da cidade, cumprindo uma missão classificada pelas autoridades como “altamente sigilosa”. Além dos dois pilotos, nele estavam cinco geógrafas daquele órgão governamental, envolvidas em trabalhos de levantamento aerofotogramétrico. Logo após fazer contato pelo rádio, informando estar ultrapassando a região da Pedra da Gávea (também notável pelos distúrbios magnéticos e pelos desaparecimento de pessoas) e que seguia em direção à Restinga da Marambaia para cumprimento da tal missão, os contatos cessaram repentinamente. Logo o avião foi dado como desaparecido, tendo sido realizada uma das maiores operações de busca na terra e também no mar que se teve notícias no país, abrangendo até mesmo outros Estados, sem que nenhum vestígio tenha sido encontrado.

Perplexas as autoridades militares não encontraram nenhuma explicação lógica para o misterioso sumiço da aeronave e dos seus sete tripulantes, até hoje dados como inexplicavelmente desaparecidos em pleno ar!

Como detalhe interessante, saibamos que a tal “missão altamente sigilosa” procurava, ou iria bisbilhotar, estranhos monumentos subterrâneos (e que seriam verdadeiras cidades!) os quais fotografias aéreas infravermelhas anteriores já tinham revelado lá pelos lados desertos do litoral oeste do Rio de Janeiro!

Talvez a explicação para esses túneis do tempo, que inclusive podem ter dado sumiço à esquadrilha militar dos Avengers-TBM da USAF em 1945 no Triângulo das Bermudas, possa ser aquilo que aconteceu com um piloto de um avião do tipo Beechcraft, em 1970. Em pleno vôo foi engolido por uma estranha nuvem que repentinamente surgiu à sua frente. Tentando escapar, viu uma abertura no seu interior. Mas essa abertura parecia um funil, cada vez mais que ia se estreitando! Parecendo mais com a mira telescópica de um fuzil, o tal túnel tinha cerca de dois quilômetros de extensão e apontava diretamente para uma região de céu azul que parecia ser a cidade de Miami. Dentro desse túnel alucinante, as paredes eram brancas e intensamente brilhantes, com coisas estranhas que giravam em sentido horário por todos os lados.

A gravidade desaparecia e os instrumentos de navegação tornavamse loucos. Ao sair do tal túnel a cerca de 400 quilômetros por hora, o piloto viu-se me meio a uma região totalmente verde e sem nada à sua frente, ou mesmo abaixo! Grandes fendas, tal como nas cortinas venezianas domésticas, cobriam o avião por todos os lados, em sentido paralelo ao vôo. Já perdendo as esperanças, o assustado piloto notou então que as fendas se alargavam e após alguns segundos, quando finalmente conseguiu se livrar da coisa, surgiu repentinamente sobre Miami Beach!

Mas o que é realmente o tempo? Na verdade, ele não existe em escala cósmica. Depende única e exclusivamente da compreensão que dele temos. As coisas caminham em uma sucessão de eventos, desde o início da expansão do Universo e assim sendo essa progressão que diríamos curva em certos pontos e linear em outros, se interpenetrariam – ignorando solenemente aquilo que conhecemos como passado, presente e futuro. Aliás, notáveis físicos e também alguns cientistas de vanguarda puderam teoricamente constatar que as viagens através do tempo são perfeitamente possíveis, dependendo unicamente de certos equipamentos ainda não disponíveis pela nossa ciência, mas que provavelmente serão corriqueiros no futuro…

Experiências desastradas nesse sentido, ou quase, já foram tentadas, com resultados absolutamente imprevisíveis e calamitosos, como foi o caso do “Experimento Filadélfia”, levado a efeito em 1943 pela Marinha Americana. Mediante o emprego de geradores de potentes campos magnéticos artificiais dotados de altíssima intensidade, tentava-se produzir a invisibilidade de um navio chamado USS Eldridge. Tal experiência, associada à Teoria dos Campos Unificados de Albert Einstein, empregava geradores magnéticos degaussers emitindo potentes ondas pulsatórias e nãopulsatórias que varreram o navio e a sua tripulação através de um tremendo campo de forças que efetivamente o fez desaparecer em meio a uma névoa verde, diante dos olhos de milhares de testemunhas as quais tripulavam outros navios que acompanhavam a experiência!

Quando o navio finalmente reapareceu, verificou-se que de alguma forma o experimento interagira com o tempo, ou talvez com outras dimensões, pois nem todos os tripulantes do Eldridge voltaram ao nosso mundo. E aqueles poucos que puderam retornar tornaram-se vítimas de apavorantes fenômenos!

No momento da experiência, conforme descreveram, todos os tripulantes tornaram-se formas vagas e perdidas em meio a uma espécie de “limbo”, fora do tempo e também do espaço. E os efeitos daquela intensa magnetização também faziam surgir estranhas chamas em alguns pontos da embarcação! Os sobreviventes, alguns internados posteriormente em clínicas psiquiátricas, passaram a sofrer daquilo que chamavam de “aprisionamentos em branco”, quando alguns entravam e saíam involuntariamente do nosso mundo tridimensional: verdadeiramente uma espécie de “congelamento” que incluía desaparecimentos por alguns breves lapsos de tempo, no qual encontravam até mesmo estranhas entidades muito parecidas com os alienígenas humanóides que tripulam os OVNI, ou então ficavam literalmente aprisionados em meio a uma infernal brancura, desprovida de espaço e tempo!.

Outros pobres sobreviventes, depois de atacados por esses insólitos “congelamentos” se tornaram vítimas de algo ainda pior: o chamado “incêndio”, no qual uma violenta forma de combustão espontânea os matava, literalmente devorando seus corpos através de um calor infernal e gerado ao que parece por chamas misteriosas que surgiam desde dentro dos seus próprios organismos, logicamente afetados pelos efeitos colaterais da tal desastrada experiência!

O tempo, pois, e os seus respectivos “túneis de entrada” que por vezes se abrem no nosso mundo e na nossa terceira dimensão, parece estar de certa forma ligado ao eletromagnetismo. Fenômeno, por sua vez, intensamente ligado à manifestação dos OVNI na nossa atmosfera. Aliás, é bom que se saiba que os norte-americanos teriam até mesmo formulado um acordo secreto com certa raça alienígena, por sinal hostil e bastante perigosa, obtendo deles, em troca, extraordinários avanços tecnológicos e militares. Documentos secretos examinados por vários denunciantes revelam que essas criaturas afirmam que podem viajar no tempo e até mesmo revertê-lo!

A tecnologia que permite aos OVNI viajar em tremendas velocidades mesmo através do espaço sideral, contrariando todas as leis conhecidas da nossa Física e verdadeiramente atravessar esses portais do tempo não deve ser nenhuma surpresa para nós. Quaisquer civilizações que possuam tais máquinas (e que por sinal parecem ser constituídas por várias raças diferentes) mais dia menos dia chegariam a esses avanços tecnológicos, ainda muito além da nossa compreensão. E quando dizem que podem reverter o tempo, certamente estariam certamente se referindo a uma sutil interferência nos acontecimentos.

E já que abordamos esse delicado assunto não poderíamos deixar de pensar que essas portas induzidas do tempo provavelmente possam ter trazido até nós certas personagens muito misteriosas da nossa História, que sem menor dúvida “reverteram o nosso tempo” – mudando de maneira sutil ou mesmo radicalmente os rumos dos acontecimentos.

Podem ser que tenham sido extradimensionais, intra ou extraterrestres ou quem sabe mesmo os futuros habitantes da própria Terra, do ano 3000 ou 5000 por exemplo, já dominando totalmente a tecnologia das viagens pelos corredores do tempo, que um dia aqui estiveram (e quem sabe muito provavelmente muitos estejam agora!) cumprindo certas missões bem específicas e que por certo influirão nos acontecimentos futuros, sempre de acordo com os seus desconhecidos propósitos!

Ou, por outro lado (tudo é possível), assim como aconteceu com alguns dos desditosos tripulantes do USS Eldridge, talvez tenham sido capturados nos vórtices dimensionais ou alguma coisa em uma experiência qualquer do futuro tenha saído errado e muitos deles não tenham podido retornar às suas origens, passando assim a conviver conosco!

Fonte: Insólito! Mistérios do Céu, da Terra, do Espaço e do Tempo – Sérgio Russo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s