Pesquisadores Encontram Camada de Magma no Manto Terrestre

magma_no_manto_20130325-102916 A nova descoberta pode representar um importante passo na compreensão das forças que agem na movimentação das placas tectônicas sobre o manto da Terra e trazer mais luz sobre os processos geológicos básicos do planeta como vulcanismos e terremotos.

Durante décadas os cientistas têm feito inúmeros estudos para entender melhor a dinâmica das placas tectônicas e a cada descoberta individual cresce o conhecimento sobre as forças envolvidas neste processo.

Usando uma avançada tecnologia de mapeamento eletromagnético, pesquisadores estadunidenses identificaram uma nova camada de rocha parcialmente derretida com 25 km de espessura situada abaixo da placa tectônica de Cocos, na região onde ela se move sob a América Central, na costa da Nicarágua.

A descoberta foi feita pelos cientistas Samer Naif, Kerry Key e Steven Constable, ligados à Scripps Institution of Oceanography (SIO) e pelo oceanógrafo Rob Evans, da Woods Hole Oceanographic Institution, que tiveram o trabalho financiado pela Fundação Nacional de Ciências dos EUA (NSF) e publicado na revista científica Nature.

De acordo com Bil Haq, diretor do programa de ciências oceânicas da NSF, as novas imagens ajudam a compreender muito melhor o papel dos fluidos nos processos tectônicos e vulcânicos.

magma_no_manto_local_20130325-102955As novas imagens do magma foram registradas em 2010 pela expedição do navio de pesquisas Melville e foram obtidas após a implantação de um vasto leque de instrumentos no fundo do mar. 

Descoberta inesperada

O objetivo era gravar os sinais eletromagnéticos naturais e mapear as características da crosta e do manto terrestres, mas as imagens mostraram algo inesperado e revelaram a presença de magma em um local surpreendente.

“Foi completamente inesperado”, disse Kerry Key. “Estávamos observando para ter uma ideia de como os fluidos interagem com a placa em subducção e encontramos uma camada de rocha derretida em lugar totalmente fora do lugar“.

Alguns estudos têm demonstrado que a água dissolvida no manto terrestre resulta em uma camada mais dúctil, que facilitaria os movimentos das placas tectônicas, mas a falta de dados ou imagens claras não permitiam confirmar ou desmentir esta ideia.

Nossos dados revelam que água não pode acomodar as características que estamos vendo“, disse Samer Naif. “As imagens confirmam que é preciso ter certa quantidade de derretimento no manto superior. Isso é o que cria um comportamento dúctil para as placas deslizarem“, explicou Naif.

Implicações

Os pesquisadores acreditam que seus resultados irão ajudar os geólogos a entender melhor a estrutura nos limite das placas tectônicas e como isso afeta a ocorrência de terremotos e vulcanismos.

Uma das implicações de longo prazo é que vamos entender mais sobre as zonas de interface entre as placas, o que poderá levar a um melhor entendimento dos terremotos e possíveis métodos de previsão“, disse Key.

O passo seguinte dos cientistas é encontrar a fonte que abastece o magma encontrado, o que poderá aumentar um pouco mais a compreensão da dinâmica do planeta.

Artes: No topo, a linha tracejada indica a localização da camada de magma, no interior do manto terrestre. Na sequência, mapa mostra o local da expedição e a tectônica de placas envolvida no processo de subducção da placa de Cocos abaixo da América Central. Créditos: NSF, Apolo11.com.

Fonte: Apollo11.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s