Três Planetas Habitáveis São Descobertos

O nascer de Gliesse 667C e as vizinhas A e B, observado no mundo Gliese 667C d, que está além da região habitável - Crédito: ESO/M. Kornmesser

O nascer de Gliesse 667C e as vizinhas A e B, observado no mundo Gliese 667C d, que está além da região habitável – Crédito: ESO/M. Kornmesser

As descobertas de novos mundso não param acada dia o número aumenta, leia sobre estas descobertas de exoplanetas -agora foram encontados mais três.

Estrela próxima do Sol é a primeira a possuir essa quantidade de mundos onde pode existir vida extraterrestre

A astronomia avança com impressionante rapidez na caça a planetas ao redor de outras estrelas. As pesquisas utilizando diversos instrumentos em terra ou no espaço já apoiam a existência de nada menos que 12 mundos potencialmente habitáveis. Cada um deles localiza-se na região Goldilocks ou habitável de sua respectiva estrela. Isso significa que, caso sejam mundos rochosos como o nosso, é grande a possibilidade de possuírem água líquida em suas superfícies, essencial para a existência de vida como a conhecemos.

Utilizando informações já recolhidas anteriormente, e estudando novos dados obtidos com o espectrógrafo HARPS do telescópio de 3,6 m de La Silla, no Chile, pertencente ao consórcio europeu ESO, os astrônomos afirmam ter certeza da existência de ao menos seis planetas no sistema da estrela Gliese 667C, existindo dúvidas quanto a um sétimo. Esse astro é uma anã vermelha com um terço do tamanho do Sol, situada a 22 anos-luz de distância na constelação Scorpius, e é um componente de um sistema triplo formado também pelas estrelas Gliese 667A e 667B.

Os três mundos potencialmente rochosos e habitáveis, Gliese 667C c, 667C f e 667C e, estão na categoria de super-Terras, planetas maiores que o nosso mas menores que Netuno. Como a estrela é menor e menos luminosa que o Sol, suas órbitas residem em uma região próxima, e os astrônomos dizem que são grandes as chances de os três exoplanetas manterem a mesma face permanentemente voltada para sua estrela. Assim, sempre seria dia em um hemisfério, enquanto o lado oposto estaria na escuridão perpétua. Contudo os cientistas afirmam que as atmosferas podem contribuir para distribuir o calor de forma uniforme, e consideram o planeta f o melhor candidato a abrigar vida.

De acordo com o artigo publicado pela equipe responsável pela descoberta, Gliese 667C f, situado bem no meio da região habitável, recebe menos energia que a Terra, e para manter condições favoráveis à vida deve possuir uma atmosfera mais espessa que a nossa. Outro detalhe é que as estrelas do sistema triplo proporcionam a esses mundos um nascer do sol único. As estrelas A e B do sistema devem brilhar de dia como astros brilhantes, e a noite exibem a mesma luminosidade da Lua cheia. A equipe igualmente afirma que não devem existir mais planetas na região habitável, já que os novos mundos a deixaram repleta, tornando impossível a existência de órbitas estáveis ali.

Fonte: http://www.ufo.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s